Premium

S. João exige devolução do terreno para a pediatria

S. João exige devolução do terreno para a pediatria

No dia em que anunciou a renúncia ao cargo de presidente do Conselho de Administração do Hospital de S. João, no Porto, António Oliveira e Silva enviou uma carta a Pedro Arroja, presidente da associação "Um lugar para o Joãozinho", exigindo a devolução do terreno cedido há três anos para a construção da ala pediátrica.

Na missiva, António Oliveira e Silva diz que as condições impostas por Pedro Arroja para a transferência da obra são "inaceitáveis" e "ilegais", sublinhando que "o prazo de vigência do protocolo" foi "esgotado". Em causa está uma carta, datada de 3 de janeiro, na qual Pedro Arroja discrimina as condições para devolver o espaço. A associação exige fazer a obra até que o Estado a possa continuar e que o S. João assuma o contrato firmado com as construtoras Lucios/Somague. É ainda pedido ao hospital que "faça prova" da existência de verbas para a pediatria.

"Nunca este centro hospitalar poderia assumir a posição contratual da "Joãozinho" sem violar de forma grosseira os princípios jurídicos fundamentais que regem a sua atuação", lê-se no documento.