Premium

Saída de autocarros para o Dragão gera polémica

Saída de autocarros para o Dragão gera polémica

Câmara justifica mudança dos términos da Rua de Alexandre Braga com obras no mercado do Bolhão, mas autarcas de Gondomar e Valongo querem alternativa mais próxima do centro.

As linhas de autocarro que servem Gondomar e Valongo vão deixar de poder concluir viagem no Bolhão. Os passageiros terão de sair no Dragão e serão forçados, por exemplo, a apanhar depois o metro para o centro da Invicta, segundo o plano que a Câmara do Porto prevê anunciar na próxima semana, o que está a gerar forte contestação junto de vários autarcas naqueles dois concelhos. Preveem que esta medida, que poderá entrar em vigor já a 5 de fevereiro, seja definitiva e não só durante as obras no mercado que obrigarão a fechar a Rua de Alexandre Braga, onde terminam linhas da STCP, da Gondomarense e da Valpi. Está já prevista a instalação de abrigos junto ao pavilhão Dragão Caixa.

Os dois municípios querem que os autocarros possam fazer o término mais perto da Baixa. A alternativa ideal defendida por vários autarcas é a zona do Campo 24 de Agosto, pelo menos até arrancarem ali as obras no seguimento da intervenção na Avenida de Fernão Magalhães. Porém, a Câmara já estará a contactar os operadores para, a partir do dia 5, o término das linhas 55, 69, 70, V94, 700, 800 e 801 ser nas Antas. Além disso, prevê-se que as linhas que já terminam no Campo 24 de Agosto, como 27, 33 e 34, e outras da Valpi e da Auto Viação Pacense, mudem também para o Dragão.