Porto

Tempo de espera para tratamento no IPO reduzido para três dias

Tempo de espera para tratamento no IPO reduzido para três dias

Reduzir o tempo de espera para o tratamento e libertar algumas camas do Internamento são as vantagens da terapêutica desenvolvida no Hospital de Dia do IPO do Porto, inaugurado ontem. Começar o tratamento pode demorar agora apenas três dias ao invés de 21.

Esta unidade hospitalar representa "uma mudança no tratamento dos doentes e a possibilidade de iniciar o processo de quimioterapia mais precocemente ", congratulou-se a ministra da Saúde. Ana Jorge esteve na inauguração do equipamento que disponibiliza 66 unidades de tratamento, distribuídas por seis salas.

"Com este Hospital de Dia, os doentes   vão ter melhores condições. São oferecidas, igualmente, mais condições para aumentar o número de ensaios clínicos que revertem em novas terapêuticas para eles e em novas oportunidades profissionais para quem está envolvido nestas áreas", reforçou o presidente do Conselho de Administração do IPO do Porto,  Laranja Pontes, reiterando a ideia de que, por causa desta unidade, serão libertadas muitas camas do Internamento.

"Até aqui, nós tínhamos 1800 pacientes por ano a fazerem quimioterapia em Internamento. Agora, farão a quimioterapia no Hospital de Dia, ou seja, libertam-se 1800 dias de camas do Internamento para outras áreas do hospital. Claro que isto é apenas relativo aos tumores sólidos [exemplos: mama, pulmão] porque os líquidos [leucemia] continuam a ser tratados em Internamento", explicou Laranja Pontes.

Desta forma, reduz-se o tempo de espera para começar o tratamento e reduzem-se também as listas de espera. Recorde-se que o IPO recebe, todos os anos, em média, 12 mil novos pacientes. "No último ano, tivemos situações em que cirurgias foram adiadas por causa de taxas de ocupação de 100%", lamentou Laranja Pontes.

No decorrer da inauguração de ontem, a ministra Ana Jorge evidenciou "a grande aposta que tem vindo a ser feita, progressivamente, e sempre que possível, no ambulatório". "Muitas das cirurgias podem ser feitas em ambulatório, possibilitando maior resposta em cirurgia", sublinhou a governante.