Porto

Mar em fúria despedaça o desafiador "Shis"

Mar em fúria despedaça o desafiador "Shis"

"Como um castelo de cartas" viu o vizinho Fernando Amorim estatelar-se, na praia do Ourigo, parte significativa do Shis, um dos restaurantes mais sofisticados do Porto. O resto estava precariamente de pé, esta segunda-feira à noite, mas o mar parecia decidido a varrer da superfície aquela estrutura que tanto tempo o desafiou.

O chefe Oliveira, da Polícia Marítima, estava perto. Seriam 19.45 horas quando sentiu "uma espécie de estalido", seguido de um estrondo mais forte. Já se temia pelo restaurante, foi a confirmação. "Tinha cedido, à tarde, e colapsou quase todo", confirmou o comandante Raul Risso, da Capitania do Porto do Douro.

Fernando Martins viu o chão do Shis erguer-se e "voar alguns metros antes de tombar". Para lá da balaustrada, o mar mais calmo mas com risco de ganhar bravura, o que era e deixou de ser. Toda a zona de esplanada - dois terços do Shis - desintegrada em destroços no acanhado areal. Grossas colunas de betão quebradas como gressinos, escombros indiferenciados, mobiliário, botijas de gás, tudo o que os proprietários (que lá estiveram, em choque, segundo as autoridades) não puderam salvar a tempo.

Ao lado, sem inspirar confiança, resistia a parte coberta e envidraçada do restaurante. Mesmo que tenha escapado à madrugada, sofreu, admitia a Polícia Marítima, importantes e talvez irremediáveis danos estruturais, que só de dia e com a acalmia do oceano poderão ser devidamente avaliados.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG