Desporto

Maratona do Porto vai estender-se a Matosinhos

Maratona do Porto vai estender-se a Matosinhos

Obras na Ponte de Luís I desviam corrida para Matosinhos. Prova realiza-se no próximo dia 7 e vai atravessar a ponte móvel de Leça e cortar trânsito nas marginais das cidades

Para atrair tanto atletas profissionais como amadores, a Maratona do Porto, que regressa no próximo dia 7 de novembro, terá três distâncias à disposição dos participantes. À prova tradicional de 42 quilómetros, junta-se a "Family Race", com um percurso de 10 quilómetros, e a "Fun Race", de seis quilómetros.

Desta vez, a 17.ª prova não passará por Gaia devido às obras que decorrem na Ponte de Luís I, e por isso o percurso foi alterado. Com a ligação entre o Porto e Gaia condicionada, a corrida vai estender-se a Matosinhos. A travessia, desta vez, será pela ponte móvel, em Leça da Palmeira (só o percurso da maratona passará por lá).

O local de partida será igual para todos: às 9 horas, junto ao Sea Life Porto. Além do corte de trânsito desde o Castelo do Queijo quase até à ponte do Freixo, a Avenida da Boavista até à Avenida do Parque, no Porto, a ponte móvel de Leça da Palmeira, e a marginal também estarão condicionadas.

Além dos constrangimentos de trânsito, a operação do metro do Porto, entre as estações do Mercado de Matosinhos e Senhor de Matosinhos, estará suspensa. De acordo com Jorge Teixeira, diretor-geral da RunPorto, que organiza o evento, o transporte de passageiros está assegurado.

Corrida solidária

As inscrições mantêm-se abertas até dia 2 de novembro. Quem falhar esse prazo poderá inscrever-se no próprio dia, no espaço da "Expo Maratona", no edifício da Alfândega do Porto, mas os preços são mais elevados.

PUB

Para inscrições - em www.maratonadoporto.pt -, até ao próximo dia 2, os preços vão dos sete euros para a "Fun Race", os 14 euros para a "Family Race" e 80 euros para a Maratona.

No dia da prova, no momento em que os atletas levantarem o kit de participante, terão de apresentar ou um certificado digital covid-19 válido, ou um teste PCR negativo feito nas 72 horas anteriores, ou um teste antigénio com resultado negativo feito nas 48 horas anteriores à data e hora do evento.

O percurso intermédio, de dez quilómetros, conta com uma vertente solidária e integra a "Corrida dos Ossos Saudáveis". A prova servirá então, de angariação de fundos que reverterá para a Associação Portuguesa de Osteoporose.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG