Transporte

Metro do Porto dá luz verde ao fabrico de 18 novas composições

Metro do Porto dá luz verde ao fabrico de 18 novas composições

A Metro do Porto autorizou a empresa chinesa CRRC Tangshan a iniciar o fabrico de 18 novas composições, após receber o visto prévio do Tribunal de Contas.

Num comunicado divulgado esta quinta-feira, a CRRC Tangshan refere que recebeu a autorização na terça-feira, durante uma videoconferência que juntou os principais responsáveis do grupo estatal chinês e da Metro do Porto, que assinou em janeiro o contrato para a aquisição, por 49,6 milhões de euros, de 18 composições.

No comunicado, a CRRC Tangshan aponta a pandemia de covid-19 como responsável pelo atraso na execução do contrato. Fonte oficial da Metro do Porto admitiu que o Tribunal de Contas, que só em setembro concedeu o visto prévio à execução do contrato, poderá ter demorado mais tempo devido à pandemia.

O presidente da empresa chinesa, Hou Zhigang, prometeu durante a reunião de terça-feira que irá reunir esforços para executar de forma eficiente o primeiro contrato que a empresa chinesa conquistou na Europa, refere o comunicado.

Segundo a Metro, os novos 18 veículos - com capacidade de 252 lugares, 64 dos quais sentados - serão entregues até 2023, ao ritmo de um por mês. E pelo menos "uma ou duas unidades" poderá ser entregue até ao final de 2021, estimou a fonte.

As composições irão servir as novas linhas Rosa, no Porto, entre S. Bento e a Casa da Música, e o prolongamento da linha Amarela, entre Santo Ovídio e Vila d'Este, em Vila Nova de Gaia. As obras de construção das novas linhas, que ainda não começaram, vão decorrer até 2023.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG