Transportes

Metro do Porto vai funcionar a 95% e uso de máscara será obrigatório

Metro do Porto vai funcionar a 95% e uso de máscara será obrigatório

Carruagens duplas e reforço do serviço em horas de pontas. O Metro do Porto retoma na segunda-feira a sua "normalidade", voltando a prestar uma oferta de 95%. Nas estações haverá dispensadores de desinfetante e nas máquinas de vending estarão à venda máscaras, luvas e gel para as mãos. Quem não cumprir as regras será multado.

"A oferta será na ordem dos 95%, um reforço significativo e que vai disponibilizar 50 mil lugares em hora de ponta", afirmou este domingo de manhã o presidente da empresa do Metro do Porto, Tiago Braga, durante uma visita à Estação da Trindade que contou com a presença do ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes.

Esta oferta foi considerada a necessária, servindo de referência para o seu cálculo as validações registadas no feriado do 1º de Maio (sexta-feira), onde ocorreram 25 mil validações. A oferta só não chega aos 100% porque a empresa afirma ter optado pela utilização de veículos duplos de forma a induzir a separação dos passageiros no seu interior, mantendo-se a distância de segurança. Um reforço que será mais visível na Linha Amarela (Hospital de S. João - Santo Ovídio), normalmente a de maior procurada.

"Apelo ao civismo dos utentes do metro", afirmou João Pedro Matos Fernandes, relembrando que "não vai haver um fiscal por cada passageiro e as pessoas têm de ter um comportamento responsável com elas próprias e com os outros". O ministro acredita que "as regras vão ser cumpridas"

Em cada composição, tal como acontece com o transporte rodoviário de passageiros, a lotação máxima será de dois terços. Em circulação estarão 81 veículos. "Uma oferta razoável embora exista a incógnita da procura", diz Matos Fernandes. Seja como for, o serviço será reajustado aos movimentos.

A partir de segunda-feira as validações voltam a ser obrigatórias e, tal como se verificou durante o Estado de Emergência, também agora as portas das carruagens abrirão automaticamente. Os veículos são desinfetados uma vez por mês e, diariamente, todos os pontos de contacto são limpos. Vai haver ainda um reforço com cinco piquetes que reforçam a limpeza em todos os terminus.

O uso de máscara é obrigatório. Em todas as entradas das estações foram colocados dispensadores de gel desinfetante para as mãos. Mais de 30 máquinas de vending passam a dispor também de máscaras (1,50 euros), luvas (0,50 euros) e gel (dois euros). Num total de 200 a 300 unidades. Na fiscalização vão estar 150 profissionais, entre segurança e agentes da PSP a quem cabe intervir e multar sempre que ocorram infrações.

Recorde-se que as multas por falta do uso de máscara podem variar entre os 120 e os 350 euros. "Fizemos tudo para que tudo funcione bem", diz o ministro que, na segunda-feira de manhã ,irá observar in loco estas alterações ao funcionamento dos transportes públicos no Metro de Lisboa.

Outras Notícias