Política

Moreira convoca núcleo duro desagradado com a número dois do PS

Moreira convoca núcleo duro desagradado com a número dois do PS

Rui Moreira marcou para esta quinta-feira à noite uma reunião de emergência do seu núcleo duro por estar desagradado com declarações da secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes.

O núcleo duro do movimento independente, uma espécie de comissão política composta pelos seus conselheiros e apoiantes mais próximos, foi convocado para esta quinta-feira à noite, segundo confirmou ao JN o adjunto do presidente, Nuno Santos, que apenas avançou como agenda "a análise da situação política ao nível autárquico".

A reunião surgiu devido às declarações de Ana Catarina Mendes, proferidas em vários momentos, sobre a grande representatividade esperada pela dirigente e a atribuição do mérito por uma vitória da recandidatura independente de Rui Moreira, apoiada pelos socialistas.

A reunião surgiu já depois da número dois do PS ter procurado contrariar a ideia de que o partido quer contabilizar para si os votos que a lista do presidente da Câmara tiver e garantiu que o apoio do PS é "irreversível". Num apelo, a dirigente referiu que "um socialista no Porto, neste momento, deve apoiar a recandidatura de Rui Moreira". E, numa tentativa de corrigir a interpretação que foi feita das suas declarações ao "Observador", a número dois de António Costa admitiu, à Lusa, que possam ter sido mal interpretadas e que se possa ter "exprimido mal".

"Não deixaremos de festejar"

"Na noite eleitoral, festejaremos as vitórias do PS. Evidentemente que a vitória no Porto de Rui Moreira será a vitória de Rui Moreira, mas não deixaremos de a festejar, uma vez que apoiamos a sua recandidatura", justificou numa nova entrevista, desta vez à Lusa.

Numa tentativa de acabar com a contestação interna, destacou que o apoio à recandidatura independente "é mesmo irreversível".

PUB

Confrontada com as diferenças entre a linha de Rui Moreira e a do autarca socialista de Lisboa, Fernando Medina, que defende por exemplo um impulso à construção pública de habitação para travar a especulação imobiliária, a dirigente defendeu que "um socialista no Porto deve apoiar" a recandidatura do atual presidente.

Instado pelo JN a reagir à garantia de que o apoio a Rui Moreira "é irreversível", o vereador socialista Manuel Pizarro disse que "tal significa que a direção nacional está identificada com a posição da grande maioria dos socialistas portuenses". E "para o PS os unanimismos nunca fizeram sentido". Por isso, "um largo consenso maioritário é mais do que suficiente", defendeu o vereador.

"Existe no PS/Porto um consenso muito alargado sobre esse apoio. E consenso não é unanimismo", reforçou. Pizarro afirmou ainda que "o PS faz uma avaliação muito positiva da governação autárquica de Rui Moreira" e que esta "tem contribuído para desenvolver a cidade e afirmar o Norte".

"O PS tem orgulho na sua colaboração com Rui Moreira. Quanto ao resto, não há nenhuma dúvida sobre a natureza independente da candidatura de Rui Moreira", deixou claro o vereador socialista.

Outras Notícias