O Jogo ao Vivo

Exclusivo

Não há trajes que cheguem para todas as festas académicas

Não há trajes que cheguem para todas as festas académicas

Lojistas queixam-se de não ter stock suficiente para todas as encomendas, apesar do aumento do preço.

Em dois anos de pandemia, em que as grandes concentrações e festejos das Queimas das Fitas estiveram canceladas, muitos foram os estudantes que preferiram ir adiando a compra dos trajes. Este é um dos principais motivos que têm levado as lojas da especialidade à rutura de stock. Mas não só. A isto alia-se a falta de matéria-prima, nomeadamente tecidos, com que seriam feitos novos fatos. E, apesar dos preços terem aumentado, os lojistas garantem que "está quase tudo a esgotar, não devendo haver trajes para todos".

No Porto, João Pereira, da loja Capas Negras, e Cristiana Veludo, de A Toga, assumem que a grande "dificuldade está a ser trajar três anos ao mesmo tempo". Não só os caloiros deste ano, mas também os estudantes que estão agora no 2.º e 3.º anos que, por falta das festas, adiaram a compra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG