O Jogo ao Vivo

Autárquicas 2021

O candidato que não consegue comprar uma casa no Porto

O candidato que não consegue comprar uma casa no Porto

Cabeça de lista do Ergue-te, Bruno Rebelo, quer garantir habitação a custos controlados, melhores transportes e mais segurança na rua.

Mais segurança, habitação a custos controlados, transportes que sirvam os grandes aglomerados habitacionais e uma nova ponte são algumas das ideias de Bruno Rebelo para a Câmara do Porto. O candidato do Ergue-te, que se diz forçado a viver em Vila do Conde por não ter condições financeiras para comprar uma casa no Porto, assegura que se revê "na alma" da cidade tripeira.

"Tenho uma ligação familiar com a cidade. Sempre me identifiquei com a alma do Porto, é uma alma genuína, com uma forte identidade e pessoas que se entregam de coração. São pessoas que não vão nas modernices do que se faz lá fora. Acreditam que o que é nosso pode não ser melhor, mas é nosso", refere Bruno Rebelo, que tirou folga para fazer campanha.

Ao contrário de muitos dos seus adversários, o candidato do Ergue-te não aproveitou a licença a que tem direito para veicular a sua mensagem. "Acho que é errado. Sei que é um direito, mas não tenho de prejudicar a minha entidade patronal por causa de uma opção minha", justifica o candidato, que é responsável por um supermercado na Póvoa de Varzim.

"Uma cidade para inglês ver"

Com 38 anos, Bruno Rebelo nasceu em Lisboa, vive nas Caxinas (Vila do Conde), mas o seu sonho é conseguir comprar uma casa no Porto. "É impossível um cidadão comum comprar habitação própria na cidade do Porto", lamenta, garantindo que vive na periferia porque foi "obrigado".

A escassez de casas a custos controlados é precisamente o maior problema do Porto, crê, fruto da entrega da reabilitação "aos lóbis imobiliários". "É uma cidade para gente endinheirada, que vem de todos os lados e que empurra os naturais para a periferia", acredita Bruno Rebelo, comprometendo-se a garantir que o Porto não seja "uma cidade só para inglês ver, sem serviços e sem alma".

PUB

Além da habitação, o candidato está preocupado com o aumento da insegurança e com os constantes estrangulamentos no trânsito.

Habitação

O candidato propõe que a Câmara remodele imóveis devolutos de privados e que os coloque no mercado, com rendas acessíveis até recuperar o investimento. Defende que a habitação social seja temporária e apenas para casos de emergência.

Transportes

Bruno Rebelo quer ligar os grandes aglomerados habitacionais ao centro da cidade. Defende uma linha de metro-bus na Circunvalação, parques de estacionamento periféricos e uma nova travessia, "mais a oriente da Ponte do Infante".

Segurança

O candidato propõe mais câmaras de videovigilância na rua e o reforço do policiamento municipal, com a contratação de mais agentes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG