O Jogo ao Vivo

Autárquicas 2021

PAN formalizou candidatura ao Porto onde quer aposta na ferrovia

PAN formalizou candidatura ao Porto onde quer aposta na ferrovia

A líder parlamentar do Pessoas-Animais-Natureza (PAN) e candidata à Câmara do Porto, Bebiana Cunha, elencou esta sexta-feira como prioridade aposta na ferrovia, numa critica ao atual presidente e candidato independente de quem só ouve falar da TAP.

"Nos últimos dias ouvimos [Rui] Moreira falar da TAP e daquilo que são as viagens aéreas, e nunca ouvimos o executivo atual falar na necessidade de rede de ferrovia. E, de facto, o Porto precisa de estar ligado por ferrovia. Quando falamos em políticas de futuro, falamos de ferrovia. Precisamos de uma ferrovia eficiente dentro do país, do Porto para outras cidades, mas também para fora do país", afirmou Bebiana Cunha, em declarações aos jornalistas à saída do Palácio da Justiça onde formalizou hoje a sua candidatura.

Salientando que é a partir de uma visão de médio e longo prazo que o projeto do PAN para o Porto se desenvolve, a candidata de 35 anos criticou aquelas que tem sido as políticas do executivo liderado pelo independente Rui Moreira, que considera serem muito centradas no "imediato", descorando e deixando "muita gente para trás".

Para o PAN, é fundamental apostar em políticas, por um lado, focadas nos jovens e, por outro, na manutenção de pessoas na cidade.

"Efetivamente, o Porto tem reiteradamente ao longo destes anos visto os seus moradores a serem empurrados para fora da cidade e por isso é que nós temos defendido claramente a necessidade de as associações de moradores terem uma voz ativa na cidade através de um Conselho Municipal de Habitação", declarou.

Bebiana Cunha fez ainda a defesa da regulação do setor "desregulado" do turismo, sublinhando a necessidade de empreender uma visão estratégica, capaz de criar equilíbrio.

Por outro lado, o PAN considera que é preciso privilegiar políticas de proximidade.

PUB

"Temos visto o executivo atual a preferir investir na instalação de grandes equipamentos, em vez de privilegiar aquela que é a economia local e que traz pessoas à cidade".

O projeto para o Porto quer ainda dar cartas no combate às alterações climáticas, com a atualização do plano municipal de combate às alterações climáticas e a elaboração de um atlas de risco.

Ainda neste domínio, a candidata considera que é necessário um plano de gestão do estuário do Douro, que considera ser "gerido de forma desadequada" pela Administração Portuária, sendo essencial uma posição ativa da Câmara Municipal.

A candidata do PAN ao Porto defendeu também a necessidade de uma maior abertura por parte do executivo municipal à participação cívica, numa critica à postura do projeto político de Rui Moreira.

"Infelizmente o executivo tem reiteradamente dito que as ouve de quatro em quatro anos", afirmou.

Nas eleições autárquicas de setembro, o PAN candidata-se à Câmara e Assembleia municipais, e apresenta ainda candidaturas a seis das sete freguesias do concelho.

À Câmara do Porto são já conhecidas as candidaturas de Ilda Figueiredo (CDU), Sérgio Aires (BE), Vladimiro Feliz (PSD), Tiago Barbosa Ribeiro (PS), Diogo Araújo Dantas (PPM), André Eira (Volt Portugal), António Fonseca (Chega), Bruno Rebelo (Ergue-te), Diamantino Raposinho (Livre) e a recandidatura do independente Rui Moreira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG