Porto

Pandemia leva equipa do S. João à Guiné

Pandemia leva equipa do S. João à Guiné

Médico e enfermeiro do Hospital de S. João dão formação a colegas de Bissau, no âmbito da cooperação na resposta à pandemia de covid-19.

Mário Branco, enfermeiro especialista em enfermagem médico-cirúrgica, e Nuno Gatta, médico especialista em medicina interna e intensiva e também assistente no Serviço de Medicina Intensiva do Centro Hospitalar Universitário S. João (CHUSJ), do Porto, estão em Bissau desde o início do mês a dar cursos teóricos e práticos do tratamento da covid-19.

Organizado no âmbito do designado Plano de Ação na Resposta Sanitária à Pandemia de Covid-19 entre Portugal e os PALOP (oficializado em julho de 2020), o curso decorre até amanhã. É constituído por uma componente teórica, designadamente na avaliação do doente crítico, e outra prática, com técnicas de ventilação mecânica não invasiva e invasiva, de suporte básico de vida ou de suporte avançado de vida, bem como procedimentos DAE (desfibrilador automático externo).

Experiência gratificante
"Tem sido uma experiência muito enriquecedora", diz o enfermeiro Mário Branco. "É muito gratificante colaborar na formação de médicos e enfermeiros do Hospital Simão Mendes, com a finalidade de melhorar os cuidados de saúde prestados aos guineenses", acrescenta o médico Nuno Gatta.

"A Medicina Intensiva é uma área de profundo défice de cuidados na Guiné Bissau, onde qualquer melhoria de cuidados ao doente crítico pode ter um extraordinário impacto. Sabemos que neste contexto a formação pontual e avulsa não é consequente, daí que este projeto implica não só a dotação das instituições com equipamentos, mas também uma formação e acompanhamento presencial e à distância mantidos a longo prazo", concluiu Nuno Gatta.

PUB

O projeto de cooperação resulta de um acordo entre o Camões IP e a Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG