Transportes

Passe de 30 euros no Grande Porto para mais zonas

Passe de 30 euros no Grande Porto para mais zonas

O passe único de 30 euros vai permitir viajar em mais do que um concelho. Os utentes poderão associar mais duas zonas contíguas, foi anunciado esta sexta-feira no Conselho Metropolitano do Porto.

A implementação do PRAT - Plano de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos está hoje em discussão. Estava prevista a criação de um passe único de 40 euros para viagens intermunicipais e de outro de 30 euros para viagens num só concelho. O âmbito deste segundo título foi alargado, permitindo aos passageiros fazer a transição para os municípios vizinhos. Porém, nas deslocações intermunicipais, os utentes não podem exceder as três zonas para pagar o passe de 30 euros. Se for apenas dentro do município, podem circular em todo o concelho.

Na reunião, o vice-presidente da Câmara do Porto, Filipe Araújo, anunciou que a Autarquia "vai implementar um sistema que permitirá aos seus residentes/estudantes até aos 15 anos não pagar qualquer valor quando se deslocarem em transporte público na cidade", a partir de setembro, ou seja, no início do próximo ano letivo.

O plano de apoio metropolitano já previa a gratuitidade das viagens até aos 12 anos, mas a Câmara do Porto alarga essa medida até aos 15 anos.

"Tendo em conta o expectável impacto positivo da gratuitidade até aos 12 anos, a Câmara do Porto entendeu, contudo, que deve ir mais longe, assumindo o alargamento da gratuitidade das deslocações dentro da cidade para todos os seus residentes entre os 13 e os 15 anos a frequentar estabelecimentos de ensino no concelho", assinala o Município no seu portal de notícias.

"A medida tomada individualmente pela Câmara do Porto, complementar à acordada no âmbito da Área Metropolitana com o Governo, pode atingir cerca de oito mil jovens estudantes e terá um custo estimado de cerca de um milhão de euros", acrescenta o mesmo texto.

A adesão ao passe único será faseada na Área Metropolitana do Porto, de modo a que possa entrar logo em abril o serviço de transporte que esteja integrado no Andante, sem esperar pelas linhas que, nessa data, ainda não façam parte do sistema intermodal.