Porto

Porto disponível para dialogar sobre travessia entre cais do Douro e Afurada

Porto disponível para dialogar sobre travessia entre cais do Douro e Afurada

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, está disponível para dialogar com o presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia a fim de fazer uma "avaliação técnica" à travessia fluvial entre o cais do Douro e Afurada.

"Fica aqui o compromisso de que vamos falar com o município de Vila Nova de Gaia e fazer uma avaliação técnica a este serviço que poderá ser alargado", afirmou o independente Rui Moreira.

O autarca, que comentava a proposta submetida pela vereadora da CDU para que a travessia entre o cais do Douro e a Afurada fosse retomada "o mais breve possível", afirmou que foi solicitado um parecer à Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT).

O parecer da AMT, esclareceu a vereadora com o pelouro dos transportes, Cristina Pimentel, concluiu que o serviço prestado era de "transporte público de passageiros" e que a retoma da travessia teria de ser "contratualizada com as autoridades de transporte competentes", nomeadamente, o município do Porto, de Gaia e a Área Metropolitana do Porto (AMP).

"Para reativar aquele serviço temos de contratualizar ao abrigo do regime jurídico de transporte público de passageiros. Terão de ser os municípios do Porto e de Vila Nova de Gaia a estudar essa opção", disse a vereadora, acrescentando que a associação que operava anteriormente aquela ligação "não cumpre os requisitos", nomeadamente, a Associação de Pescadores Profissionais e Desportivos do Ouro (APPDCO).

Cristina Pimentel notou ainda que a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) -- com quem a CDU apelou ao diálogo na proposta -- "não tem qualquer competência na matéria, a não ser a competência dos cais".

Salientando que a associação que operava aquela travessia "não cumpre os critérios de licenciamento para executar o transporte entre as duas margens", o independente Rui Moreira disse que a retoma da ligação "valeria a pena ser estudada", nomeadamente, por intermédio da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) Serviços.

PUB

"Iremos falar com a STCP e analisar com os outros parceiros", garantiu o autarca independente.

A vereadora da CDU, Ilda Figueiredo, que acabou por retirar a proposta face a "considerandos" como a menção à APDL, apelou à maioria para que se comprometesse em "olhar para o problema com rapidez" e providenciar informação "dentro de um prazo razoável" para a retoma da travessia fluvial entre o cais do Douro e Afurada.

Na reunião, o social-democrata Vladimiro Feliz considerou também que o transporte fluvial é "algo que une a cidade" e um serviço com várias décadas que é "útil a muitas populações que fazem a travessia do rio Douro".

"Acho que o serviço deveria ser alargado às duas margens", sugeriu o vereador.

Também o socialista Tiago Barbosa Ribeiro disse ter tido o "cuidado de falar com a APDL" sobre o tema, mostrando-se, apesar dos "considerandos" da proposta da CDU, a favor da retoma da travessia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG