Exposição

Porto em miniatura para ver no Ateneu

Porto em miniatura para ver no Ateneu

É um Porto à escala minimal para visitar, a partir de segunda-feira, no Ateneu Comercial. No número 44 da Rua de Passos Manuel, os visitantes poderão apreciar miniaturas de ícones da cidade como a Torre dos Clérigos, o Palácio da Bolsa, a Estação de S. Bento ou os Paços do Concelho.

A exposição "O Porto em miniaturas" reúne 17 obras, entre as quais também será possível encontrar a Feitoria Inglesa, a Ribeira e as pontes, a Livraria Lello, o Café Majestic, o Marégrafo da Foz do Douro, o antigo Palácio de Cristal e até os Sanitários do Passeio Alegre.

Os trabalhos são da autoria de Licínio Sousa, que "depois de se ter feito ourives joalheiro ao longo de uma vida, escolheu as duas décadas finais dela para espelhar dedicação a uma outra arte e à sua terra", refere a organização, em comunicado.

PUB

"Em muitos casos, as maquetes incluem curiosíssimos pormenores interiores - a escadaria da Livraria Lello, a Sala da Sessões da Câmara do Porto, o hall da Estação de São Bento ou o Salão Árabe do Palácio da Bolsa -, dotados de iluminação e, por vezes, até animados mecanicamente", regista Manuel de Sousa, estudioso da história da cidade, que será o cicerone de visitas guiadas à exposição, citado no comunicado.

"Este homem, cujo grau académico era apenas a quarta classe, aos 15 anos de idade já era oficial de primeira ordem na arte da ourivesaria. E aos setenta começou a construir miniaturas de edifícios históricos do Porto, deixando-nos um património rico na arte do bem trabalhar. Além das ferramentas que utilizava nas oficinas de ourivesaria, o Licínio teve de comprar e aprender a utilizar ferramentas com as quais construiu as peças que vão ter oportunidade de apreciar. São miniaturas feitas com carinho, arte e paciência, autênticos puzzles que demoravam muitos meses de longo e árduo trabalho", conta Inácio Sousa, amigo de longa data, também citado no comunicado.

Licínio Rocha de Sousa, já falecido, nasceu na Foz do Douro em 1934. Foi o terceiro de quatro filhos de um ourives e de uma dona de casa. Segundo Manuel de Sousa, seguiu os passos do pai e ingressou como aprendiz numa ourivesaria da Baixa do Porto, mostrando aptidões que o levaram a ser ourives joalheiro.

A exposição no Ateneu Comercial do Porto pode ser vista, "pelo menos até janeiro", de segunda-feira a sábado, das 10 às 13 horas e das 14.30 às 18 horas. A entrada custa cinco euros e pode ser comprada online.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG