Porto

Presidente da FAP acusa Câmara de Matosinhos de querer "matar" festa dos estudantes

Presidente da FAP acusa Câmara de Matosinhos de querer "matar" festa dos estudantes

O presidente da Federação Académica do Porto, Luís Rebelo, acusou esta terça-feira a Câmara de Matosinhos de querer "matar a Queima das Fitas", ao tentar impedir pela via judicial a realização da festa dos estudantes no "Queimódromo".

"É com muita tristeza que vemos uma câmara municipal querer, de alguma forma, parar uma festa dos estudantes do Porto. Quer matar a Queima das Fitas", disse à agência Lusa Luís Rebelo.

O presidente da FAP defendeu que "a Queima das Fitas não pode existir sem concertos nem barraquinhas". "Não sei o que dá na cabeça desta câmara municipal. É deplorável uma atitude destas. Estamos estupefactos", frisou.

Luís Rebelo reconheceu que "a Câmara de Matosinhos já há uns anos que se tem queixado por causa do barulho" no "Queimódromo", mas argumentou que "não há outro espaço no Porto" para realizar a festa.

Os concertos da Queima das Fitas do Porto vão manter-se no Parque da Cidade até domingo, depois de gorada uma tentativa da Câmara de Matosinhos de impedir pela via judicial a realização da festa dos estudantes no "Queimódromo".

O Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto (TAFP) aceitou segunda-feira uma providência cautelar intentada pela Câmara de Matosinhos em Fevereiro para impedir a realização da Queima das Fitas no Parque da Cidade, mas deu 10 dias à empresa municipal Porto Lazer para se opor, pelo que a acção não tem efeitos suspensivos da edição deste ano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG