Transportes

Procura do metro do Porto mantém-se abaixo dos níveis pré-pandemia

Procura do metro do Porto mantém-se abaixo dos níveis pré-pandemia

O presidente da Metro do Porto, Tiago Braga, notou esta sexta-feira que o nível de procura daquele meio de transporte se mantém abaixo do registado antes da pandemia. O cenário é idêntico na STCP.

Questionado sobre se a Metro do Porto iria reforçar a operação devido aos constrangimentos provocados pelas obras de construção da Linha Rosa, entre a Casa da Música e a Estação de S. Bento, no Porto, e pelo prolongamento da Linha Amarela, de Santo Ovídio até Vila d'Este, em Gaia, o presidente da empresa, Tiago Braga, revelou que, mesmo com uma procura ainda baixa face a 2019, a oferta mantém-se a mesma.

"As carruagens do metro estão a funcionar hoje com o serviço, eu diria normal a 2019. Ou seja, temos uma intensidade de oferta igual à que tínhamos em 2019, ainda que a procura esteja abaixo. Ontem, fizemos 220 mil validações. Em 2019, nesta altura, estaríamos a fazer 290 mil validações", referiu Tiago Braga, presidente da Metro do Porto, esta sexta-feira, no final de uma visita às obras da Linha Rosa.

"Evolução gradual"

O cenário é semelhante na STCP, que em outubro transportou cerca de 220 mil passageiros por dia, excluindo fins de semana, valor que corresponde a 79% comparando com o mês homólogo de 2019, no período pré-pandemia.

A operadora, em resposta à Lusa, indicou que o dia 13 de outubro foi o dia com maior número de clientes transportados pela operadora no ano de 2021, tendo superado os 231 mil passageiros. Já em setembro, a média de passageiros transportados em autocarro, nos dias úteis, tinha sido de 71% face aos valores registados em 2019, para o mesmo período.

No entanto, salienta a STCP, estes dados "demonstram que continua a verificar-se uma evolução gradual dos níveis de procura".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG