PS

PS vai votar contra proposta camarária de compra do Club Fluvial Portuense

PS vai votar contra proposta camarária de compra do Club Fluvial Portuense

A concelhia do Porto do PS anunciou este domingo que os deputados socialistas vão votar contra a proposta da câmara local de compra do Club Fluvial Portuense, que vai ser discutida segunda-feira em Assembleia Municipal.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o PS/Porto refere que considera "absolutamente desajustado" o plano que a Câmara do Porto, de maioria PSD/CDS, submete à Assembleia Municipal, porque "o Fluvial tem condições para, com os seus próprios meios, sair da situação em que se encontra".

Em alternativa, os eleitos do PS manifestam-se "disponíveis para apoiar uma posição da Câmara no sentido da aquisição, de modo justo, de uma parte do património do clube".

"A eventual aquisição do pavilhão desportivo, ainda a precisar de acabamento, e dos escritórios anexos, permitirá dotar a cidade de um novo e necessário equipamento desportivo, acelerando a recuperação do Fluvial", defendem os socialistas.

Para o PS, "é inaceitável" a proposta da Câmara do Porto de adquirir todo o património do Fluvial por 1,3 milhões de euros, considerando que "conduz à destruição do clube", um dos mais antigos do país, fundado em 1876.

A concelhia do PS considera também que a proposta da Câmara constitui "um abuso da sua própria posição", ao pretender "obter por um baixo valor um património muito mais valioso (a Câmara oferece menos de 10% da avaliação que reconhece como válida)".

O PS considera ainda que a proposta da Câmara "prejudica gravemente o conjunto dos credores", dado que os minoritários "receberão apenas 40 por cento do débito".

O Real Club Fluvial Portuense possui um moderno complexo de piscinas coberto, e mais de 600 utentes diários, mas debate-se com um passivo de cerca de dois milhões de euros e não consegue reunir dinheiro para o liquidar, razão que o levou a iniciar um processo de insolvência.

Credora de 475,9 mil euros, a Câmara pretende comprar as instalações do Fluvial, alegando ser a "decisão possível", mas toda a oposição à maioria PSD-CDS está contra a proposta.

A CDU argumenta que "o Fluvial diz ter uma solução para manter aquilo na sua posse e a Câmara devia aproveitar" e o Bloco de Esquerda acrescenta que "a operação tem uma outra componente, que é acabar com a piscina municipal de Campanhã".

O vereador do Turismo e Lazer da Câmara do Porto, Vladimiro Feliz, não desfez as dúvidas sobre este ponto. "Não está fora de questão que encerre, nem está fora de questão que continue a funcionar", disse.