Exclusivo

Quatro meses sem dormir por causa das obras do metro

Quatro meses sem dormir por causa das obras do metro

Moradores queixam-se do barulho da construção da estação no jardim do Carregal.

Os moradores das habitações envolventes ao jardim do Carregal, onde a Metro do Porto está a construir a estação que vai servir o Hospital de Santo António, contestam o barulho que a obra está a provocar, durante 24 horas/dia. Dizem que não conseguem dormir e que o volume do barulho viola a lei do ruído. O tormento poderá durar quatro meses, tempo previsto para o fim dos trabalhos. A empresa diz que vai avançar com medidas para mitigar o impacto negativo.

"Fomos avisados pela Câmara do Porto que a obra passaria a ser em contínuo, mas nunca suspeitamos que o barulho seria tanto. Passamos noites inteiras sem dormir", queixa-se Andreia Silva, gerente de um restaurante junto ao jardim. "Acabo por adormecer por cansaço. Aluguei esta casa em janeiro e só não vou para outro sítio para não quebrar o contrato", refere André Castro, outro morador no local. A Metro do Porto reconhece o problema mas relembra que já estava previsto na Avaliação de Impacto Ambiental, tendo a empresa um conjunto de licenças especiais de ruído emitidas pela Câmara do Porto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG