Festa

Queima das Fitas: Cortejo mais curto, missa e serenata na Cordoaria

Queima das Fitas: Cortejo mais curto, missa e serenata na Cordoaria

Obras do metro obrigam a alterações na Queima das Fitas do Porto, que está a comemorar a 100.ª edição. Esperadas 400 mil pessoas na Baixa da cidade no dia do desfile académico.

Depois de dois anos em que a pandemia cancelou os eventos da Queima das Fitas do Porto, eis que a festa da Academia, que está a assinalar 100 anos, volta a realizar-se. Desta feita, repleta de novidades. Desde logo, o percurso do cortejo será alterado, por conta das obras do metro, que impedem a descida dos estudantes pela Rua dos Clérigos. Também a monumental serenata e a missa da bênção das pastas vão mudar de local, mas "mantendo-se na zona histórica da cidade", salientou ao JN Ana Gabriela Cabilhas, presidente da Federação Académica do Porto (FAP).

O cortejo será mais curto. "Começará às 14.01 horas do próximo dia 3, na Rua de Camões, junto ao viaduto de Gonçalo Cristóvão, descendo para a tradicional tribuna montada na Praça do General Humberto Delgado", revelou a presidente da FAP.

PUB

Apesar de, no total, o trajeto ter pouco mais de 450 metros, os principais acessos à Baixa do Porto ficarão condicionados. Isto porque a Praça da República "será o ponto e o Porto de encontro dos estudantes no momento em que se reúnem antes do cortejo começar", disse Ana Gabriela.

Já o alinhamento dos carros será feito na Rua de João das Regras (artéria paralela à Rua de Gonçalo Cristóvão) até, sensivelmente, ao Hospital de Santa Maria. Findo o cortejo, os carros dos diferentes cursos serão encaminhados para o Palácio de Cristal, "através do túnel de Ceuta", referiu a presidente da FAP.


Esperadas 400 mil pessoas

Sendo esperada a presença de cerca de 400 mil pessoas na Baixa - 300 mil da Academia mais 100 mil do público em geral -, a mesma responsável ressalvou que "o trajeto do cortejo pretende manter as questões de segurança e também de acessibilidades a pontos estratégicos da cidade", tendo sido um trabalho "coordenado com a Câmara do Porto, assim como com as forças policiais".

As mesmas questões de segurança, e "porque se prevê uma afluência muito maior de pessoas", segundo Ana Gabriela, farão com que a monumental serenata (agendada para a noite do dia 30) e a missa da bênção das pastas (dia 1) deixem a Avenida dos Aliados e passem para o Largo Amor de Perdição, em frente à antiga Cadeia da Relação, na Cordoaria.

"Esta é uma Queima das Fitas destinada aos estudantes de hoje da Academia, mas também para todos os outros que não tiveram oportunidade de viver a sua Queima de finalistas nestes últimos dois anos de pandemia", vincou a presidente da FAP.

As mudanças em curso no Parque da Cidade - obra do remate poente, onde nascerá uma praça -, foram, segundo Ana Gabriela Cabilhas, "a oportunidade para repensar toda a configuração e disposição do próprio recinto do Queimódromo", tendo havido a preocupação de "aumentar as condições de conforto e de segurança".

Com isto, não só os dois palcos vão ganhar uma nova localização, de costas para a zona residencial, de forma a diminuir o impacto do ruído, como será criada uma zona lounge, com capacidade para 1500 pessoas e uma área de refeições "premium". Também haverá um reforço da videovigilância e das torres de vigia.

Está aí uma nova ronda de festas das academias portuguesas, este ano com energia redobrada após dois de paragem forçada pela pandemia. Mais uma vez, os estudantes não pouparam em gastos para levar aos palcos das respetivas festas os nomes mais sonantes da cena musical. Segue-se o programa em algumas das principais cidades.

Porto:Ana Malhoa volta ao Queimódromo

Diogo Piçarra, Profjam, Dillaz ou Kevinho são alguns dos artistas que atuam na 100.ª Queima das Fitas do Porto, evento que regressa de 1 a 7 de maio. "Vai ser uma edição memorável" com um "cartaz reforçado e diferenciado", avançou a presidente da Federação Académica do Porto (FAP), Ana Gabriela Cabilhas. Os portugueses Diogo Piçarra, Capitão Fausto, Quim Barreiros, Ana Malhoa, Wet Bed Gang, Nenny, Julinho KSD, Dillaz, ou Revenge of the 90's também fazem parte do rol de artistas que vão subir aos palcos da Queima das Fitas do Porto. A madrugada de sábado para domingo, 30 de abril para 1 de maio, cabe aos Profjam e Lon3r Johny. Julinho KSD e Plutónio atuam na noite seguinte.

Vila Real: Espetáculos dentro do campus

A Semana Académica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro começou anteontem e termina na próxima terça-feira, em Vila Real. Pela primeira vez, a tenda de espetáculos está instalada dentro do campus. Os cabeças de cartaz são Wet Bed Gang (hoje), Dillaz (amanhã), Plutónio (domingo) e Sons do Minho (segunda-feira). Todos os dias há no palco mais cinco DJ ou outros artistas. A Avenida Carvalho Araújo vai acolher a missa da bênção das pastas e a Queima das Fitas, no domingo. O baile académico, na terça-feira, encerra a festa dos estudantes universitários de Vila Real.

Aveiro: Rui Veloso e Némanus

A Semana do Enterro de Aveiro, que começa amanhã e se prolonga até dia 30, vai contar este ano com figuras como Profjam (amanhã), Álvaro de Luna (domingo), Capitão Fausto (dia 25), Bispo (26), Virgul (27), Quim Barreiros (28), Rui Veloso (29) e Némanus a fechar, no dia 30. Os concertos decorrem numa tenda instalada por trás da biblioteca, no campus. Os bilhetes vão dos oito aos 11 euros para estudantes e dos 11 aos 15 euros para não estudantes. A festa é promovida pela Associação Académica, após um interregno de dois anos devido à pandemia.

Coimbra: dois artistas internacionais

O "rapper" catalão Morad e o cantor de funk brasileiro MC Pedrinho são dois dos quatro nomes já confirmados para as Noites do Parque da Queima das Fitas de Coimbra, que decorrem de 20 a 27 de maio, na Praça da Canção, na margem esquerda do rio Mondego. Os outros artistas confirmados são os portugueses Dillaz e Plutónio, este último convidado em homenagem ao recentemente falecido presidente da Associação Académica de Coimbra, Cesário Silva, uma vez que era um dos seus artistas favoritos. Outra nota de destaque é o regresso do cortejo à cidade, três anos depois, com o desfile a realizar-se a 22 de maio.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG