Porto

Rui Moreira: "A TAP acha que o Porto é mau negócio, a Iberia diz que ganha dinheiro e quer aumentar a frequência"

Rui Moreira: "A TAP acha que o Porto é mau negócio, a Iberia diz que ganha dinheiro e quer aumentar a frequência"

"A TAP acha que o Porto é mau negócio, a Iberia diz que ganha dinheiro e quer aumentar a frequência", afirmou, esta quinta-feira, ao fim da tarde, o autarca Rui Moreira, no seguimento da notícia do "Jornal de Notícias", a dar conta de uma reunião que contou com agentes da Região Norte, na qual o presidente do Instituto do Turismo de Portugal, Luís Araújo, incentivou-os a apostar na Iberia como parceiro estratégico, após as reiteradas críticas à TAP feitas por autarcas e empresários nortenhos.

"Não estive presente na reunião, li a notícia no Jornal de Notícias e parece-me que as fontes são credíveis, não acho que haja nada de extraordinário. De facto, o senhor presidente do Instituto do Turismo de Portugal, aquilo que retratou foi que há um forte desinvestimento da TAP relativamente ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro e terá dito, com toda a naturalidade, que temos que olhar às alternativas. Que é aquilo que temos feito. Portanto, acho que não há aqui nenhuma polémica. Acho que ele disse aquilo que é óbvio e que lhe compete, a preocupação do senhor presidente do Instituto do Turismo de Portugal é zelar pelo turismo não apenas em Lisboa, mas também no resto do país. Se, de facto, a TAP não pode oferecer uma maior frequência de voos diretos a partir do Porto, é normal que o Porto olhe para outros operadores e que outros operadores olhem para o Porto", afirmou o presidente da autarquia portuense, à margem da inauguração de um hotel, nos Aliados.

"De facto, coincidentemente, na véspera eu tinha tido uma reunião com a senhora diretora-geral da Iberia e da British Airways em Portugal, que me deu nota de que estão muito satisfeitos com o tráfego no Porto, que estão a ganhar dinheiro com o Porto e que querem aumentar o frequência no Porto. Aquilo que nos dá é mais perspetivas de crescimento. Portanto, a notícia é boa. Não vejo que exista aqui polémica", declarou.

"Isto é uma espécie de demonstração da ineficácia da TAP?", foi-lhe perguntado. "Não. Há uma constatação, que não é de ineficácia. Há um desígnio estratégico. A TAP entende, e provavelmente sob o ponto de vista económico da companhia até é compreensível, que vir ao Porto é mau negócio. Se para outros é bom negócio, devemos agarrar aqueles que acham que o Porto é um bom negócio. A TAP acha que o Porto é um mau negócio. Não pode, portanto, vir ao Porto. Para eles é mau negócio. Felizmente há outros para quem o Porto é um bom negócio", respondeu.

"No meio disto tudo, a única coisa que me preocupa é se Lisboa é bom negócio então que dê lucro e que não nos peçam dinheiro para a TAP. É a única coisa, mas pronto... Nós havemos de arranjar maneira", prosseguiu.

"Como eu disse da última vez que o ministro[Pedro Nuno Santos] esteve no Porto e teve uma reunião comigo e com o senhor presidente da CCDR-N [António Cunha], o ministro garantiu que haveria verba disponível para o incremento de rotas diretas estratégicas. Neste momento, esse estudo está a ser feito com a CCDR-N, a entidade de turismo, a vereadora Catarina Santos Cunha e também com a ANA Aeroportos Portugal, que conhece melhor os protagonistas. Não escondo que gostaríamos muito rapidamente de ter voos diretos para os Estados Unidos com uma frequência pelo menos diária a partir do Porto. Isso para nós é o principal objetivo, já que os mercados europeus estão relativamente bem servidos pelos outros operadores", adiantou.

Também esta quinta-feira, na reação à notícia do Jornal de Notícias, o Turismo de Portugal disse que tem trabalhado para atrair novas companhias aéreas para tornar Porto e Lisboa mais atrativos para quem faz ligação em Espanha, através da Iberia, mas atendeu também ao "papel crucial" da TAP na conetividade.

PUB

"Sendo a conetividade aérea uma importante parte desta equação, tem sido desenvolvido um trabalho, sobretudo no pós-pandemia, no sentido de reforçar as ligações das companhias aéreas para todos os aeroportos nacionais, atrair novas companhias aéreas - uma vez que asseguram as ligações de novos mercados ou mercados já existentes aos aeroportos nacionais - e colaborar nos programas de venda e distribuição das companhias nesses mesmos mercados", explica o Turismo de Portugal, em comunicado.

A autoridade turística refere que, sem prejuízo do papel da TAP enquanto parceiro estratégico do Turismo de Portugal e na conetividade e acessibilidade a Portugal, "e considerando que a Iberia incluiu recentemente os destinos de Porto e Lisboa no seu programa, tem sido desenvolvido um trabalho no sentido de tornar ainda mais atrativos estes destinos para os passageiros que fazem ligação em Espanha".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG