PS

Rui Moreira destaca sucesso da cooperação com o PS

Rui Moreira destaca sucesso da cooperação com o PS

O presidente da Câmara do Porto destacou, esta segunda-feira, confiança no sucesso da coligação com o PS, num encontro com o novo presidente da concelhia socialista, eleito num ato que a Comissão Federativa de Jurisdição declarou "sem efeito".

Tiago Barbosa Ribeiro, que recorreu da decisão para a Comissão Nacional de Jurisdição do PS, explicou que podia ter ocupado o cargo sem convocar eleições, tendo por isso a garantia de ser "o presidente da concelhia do Porto em qualquer circunstância", e preferiu salientar a "garantia de estabilidade e de lealdade no trabalho que está a ser desenvolvido" na autarquia.

Também o presidente da Câmara do Porto, o independente Rui Moreira, vincou que a troca de cumprimentos pretendeu mostrar "um reforço do sentimento de cooperação mútua que sempre existiu" desde que tomou posse, com um acordo pós-eleitoral com o PS.

Quanto a uma eventual coligação nas autárquicas de 2017, tanto Moreira como Barbosa Ribeiro sustentaram não ter abordado o assunto.

"Não, ainda não falámos. Ainda temos muito tempo. Para já, tudo a correr muito bem. Era esse sinal que queríamos dar, que eu queria dar", afirmou o autarca no fim da reunião realizada na câmara.

"Haverá um tempo para tudo. Para já estamos muito satisfeitos na forma como as coisas tem corrido. Depois todos nós vamos ter de decidir as nossas vidas. Todos: o PS, eu, o meu movimento... Tudo isso é muito cedo", acrescentou Moreira.

Para Tiago Barbosa Ribeiro, que sucedeu ao vereador da Habitação da Câmara, Manuel Pizarro, na presidência da concelhia socialista, o tema das próximas eleições autárquicas é "prematuro".

PUB

"Neste momento, estamos comprometidos e compenetrados no acordo de governação que temos até 2017. Fazemos uma avaliação muito positiva do trabalho que está a ser desenvolvido. No fim, faremos uma avaliação sobre este ciclo e sobre o resultado, ou não, relativamente às próximas eleições autárquicas", vincou.

Moreira começou por explicar que o encontro se deveu à "nova liderança na concelhia do PS" e a uma coligação que "tem funcionado com extrema lealdade".

"Foi muito importante trocar impressões sobre a continuidade que ambos pretendemos de uma coligação que, a nosso ver, está a correr bem. Houve um reforço do sentimento de cooperação mútua que sempre existiu", disse.

Tiago Barbosa Ribeiro sublinhou que a apresentação de cumprimentos ao presidente da Câmara do Porto foi o seu "primeiro ato público depois das eleições no PS".

Quanto à impugnação das eleições concelhias de 14 de março, Barbosa Ribeiro disse aguardar "com serenidade" o resultado do recurso apresentado na Comissão Nacional de Jurisdição do PS depois de, na quinta-feira, a Comissão Federativa de Jurisdição do PS/Porto ter declarado as eleições "sem efeito"

"Enquanto presidente da concelhia, a única garantia que tenho é que, independentemente do que possa ser decidido pelo Conselho de Jurisdição Nacional, sou o presidente da concelhia do Porto em qualquer circunstância", frisou.

"Já era o presidente da concelhia, disponibilizei-me para ir a votos democraticamente. Nesse cenário, a alternativa a não haver eleições no Porto, é eu ser presidente da concelhia", notou.

A Comissão Federativa de Jurisdição do PS/Porto declarou "sem efeito" o ato eleitoral para a eleição do presidente da estrutura socialista do concelho, determinando a repetição das eleições intercalares neste órgão.

Tiago Barbosa Ribeiro candidatou-se com lista única, num ato eleitoral que foi alvo de um pedido de impugnação de Odete Guimarães, militante socialista da secção de Paranhos.

Barbosa Ribeiro assumiu a liderança da concelhia depois da saída de Manuel Pizarro, que passou a integrar o secretariado nacional do PS, prevendo os estatutos que o militante que ocupe a segunda posição fique com o cargo de presidente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG