Porto

Rui Moreira diz que só soube de "discordância" de Rosa Mota na semana passada

Rui Moreira diz que só soube de "discordância" de Rosa Mota na semana passada

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira diz que só teve conhecimento da "frontal discordância" de Rosa Mota quanto à forma como a comunicação do equipamento estava a ser feita - com o logótipo Super Bock Arena - Pavilhão Rosa - "na passada semana". Isto, apesar de, "dois dias antes", a atleta o "ter acompanhado oficialmente, na abertura do Parque Oriental da Cidade".

Esta informação surge na carta que o presidente da Câmara tornou pública, esta quinta-feira, em resposta à demissão apresentada, por Manuela de Melo, da Comissão de Toponímia.

PUB

Por "uma questão de transparência", Rui Moreira esclarece que "desde pelo menos dezembro de 2018 que o logótipo do projeto era público e estava a ser divulgado pelo concessionário". "Como compreenderá, a Câmara do Porto não condiciona logótipos, limitando-se a assegurar que nas designações e identificações do equipamento, o nome de Rosa Mora não seria suprimido", frisou.

Isto depois de, esta quarta-feira, Manuela de Melo ter criticado o facto da Câmara do Porto permitir "que se relegue para segundo plano o nome de Rosa Mota para salientar o de uma bebida alcoólica".

Aliás, na carta enviada pela atleta ao executivo camarário, no domingo, esta pronunciou-se precisamente sobre os logótipos, explicando que em reunião com a vereadora Catarina Araújo [responsável pelos pelouro da Juventude e do Desporto] a informou que "aceitaria o "suplemento Super Bock à designação Pavilhão Rosa Mota, tal como estava elaborado pelo Super Bock Group e que rejeitava, em absoluto, outro que o Círculo de Cristal tinha apresentado à Câmara, por o considerar "uma inaceitável subalternização da toponímia da Cidade".

Rosa Mota disse mais: "Foi em função desse logótipo que dei a minha anuência à proposta que a senhora vereadora levou à reunião camarária de 27 de novembro, acreditando que a mesma traduziria o logótipo por mim aceite".

Por sua vez, Rui Moreira, vem agora dizer: "Há quase um ano que se encontrava perfeitamente consolidada a autorização municipal para que a sponsorização do nome acontecesse, o que foi previamente, por mim, comunicado à Rosa Mota, que com algumas reservas iniciais, por se tratar de uma bebida alcoólica, acabou por aceitar, o que expressou, até por escrito".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG