Porto

Salvamento dramático nas águas do rio Douro

Salvamento dramático nas águas do rio Douro

Uma jovem de 14 anos que fazia canoagem no rio Douro foi resgatada pela tripulação de um navio que faz cruzeiros no Douro, num salvamento dramático que terminou com aplausos.

Francisca, a treinar no Clube de Canoagem de Rio Mau, Penafiel, foi surpreendida, ao final da tarde de quarta-feira, pela forte corrente que se fazia sentir no rio, tendo sido arrastada depois do caiaque em que remava ter virado. Valeu-lhe a coragem da tripulação do "Navio Hotel Douro Queen", da empresa Douro Azul, que estava atracado no cais de Gaia. Um marinheiro laçado com um cabo, seguro pelo diretor da embarcação e por um barman, desceu pelo navio e foi ao encontro da jovem que já se encontrava encostada ao casco da embarcação. Suspenso, conseguiu, ao fim de várias tentativas, segurar a atleta federada até à chegada da Polícia Marítima.

"Encontrava-me em pleno check-in de passageiros quando de repente observo, por uma janela do bar, uma jovem aflita em plena água agarrada a uma pequena embarcação", relatou, ao JN, Victor Azevedo, diretor do navio hotel. "Por sorte estava a passar pela receção o marinheiro Vasco Coimbra, que também já se tinha apercebido da situação, que prontamente deu instruções como efetuar a manobra de salvamento". Foi então que os dois homens, contado ainda com a ajuda do barman do navio, Augusto Gabriel, conseguiram salvar a rapariga.

"Não foi lançada uma boia porque a corrente estava demasiadamente forte e também devido ao estado em que se encontrava a jovem. Foram momentos dramáticos, pois a jovem só chorava e estava em estado de choque", relata Victor Azevedo.

Durante a operação de salvamento, dificultada pela forte corrente e ondulação, o diretor do navio quase caiu ao rio.

Entretanto, e já alertada pela tripulação, a Polícia Marítima chegou ao local e assumiu o controlo da situação, tendo transportado a jovem para o Hospital de São João. "Estava em estado de pânico e com hipotermia", disse fonte da Polícia Marítima ao JN.

Os passageiros do navio assistiram e quando foi dada por terminada a operação aplaudiram emocionados.

Depois de assistida na urgência de Pediatria, a jovem atleta, que estuda no Porto, regressou a casa. "A maior preocupação dela foi perder o material", contou, ao JN, Augusta Rosa, presidente do clube onde Francisca treina.

Outras Notícias