Feira

Seis mil à procura de emprego na Faculdade de Economia do Porto

Seis mil à procura de emprego na Faculdade de Economia do Porto

Porto de Emprego, a maior feira do país organizada por estudantes nos corredores da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, contou com a presença de 60 empresas.

Há três anos, André Macedo encontrou na Porto de Emprego uma oportunidade para entrar no mercado de trabalho. Era estudante e assinou contrato com a Deloitte. Este ano, com o arranque de mais uma edição da feira, regressou à Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP).

No entanto, desta vez, inverteram-se os papéis. Atrás do balcão da empresa onde trabalha como consultor, o jovem de 24 anos deu o seu testemunho e ajudou estudantes em busca de um emprego ou de um estágio.

"Esta feira é uma ponte entre o mundo académico e o mundo empresarial. É uma forma dos estudantes conhecerem a oferta e das empresas se darem a conhecer", considerou André Macedo.

O certame, que celebra 20 anos de existência, termina esta quarta-feira, abrindo a porta a 60 empresas. Nos dois dias da iniciativa, a organização estima ter recebido a visita de cerca de seis mil pessoas.

De acordo com André Macedo, na escolha de um candidato, são requisitos importantes a "iniciativa", a "capacidade de resolução de problemas e de adaptação", a "vontade de aprender" e a "curiosidade". Os estágios de verão são bastante procurados. "É uma forma de entrar no mercado de trabalho temporariamente e de perceber se efetivamente vão gostar daquela função", disse o consultor.

É de uma oportunidade que Luís Oliveira e Inês Forte procuram na FEP. São estudantes de mestrado. "Quero ganhar experiência profissional. Acho que me está a faltar", admitiu Luís Oliveira, de 22 anos.

Já Inês Soares não avançou para o mestrado. Após terminar a licenciatura decidiu procurar emprego. Enquanto espera pelo desfecho de duas candidaturas, espreitou as ofertas na feira. "Saio daqui com sites para pesquisar, empresas para procurar e com a ideia de que os processos de recrutamento demoram muito tempo", disse a jovem.

Outras Notícias