O Jogo ao Vivo

Urbanismo

Surto de covid-19 pára obra em Fernão Magalhães por duas semanas

Surto de covid-19 pára obra em Fernão Magalhães por duas semanas

As obras de requalificação da Avenida de Fernão de Magalhães, no Porto, iniciadas em 2018, vão sofrer um novo atraso. De momento estão paradas, devido a um surto de covid entre os trabalhadores envolvidos na empreitada. O tempo previsto de paragem é de duas semanas.

A demorada intervenção, iniciada no Campo de 24 de Agosto, estava a chegar às proximidades do complexo desportivo do Monte Aventino, mas a pandemia vai travar, por 15 dias, novos avanços e a consolidação dos trabalhos. De lembrar que no decurso da empreitada, além dos incómodos causados aos moradores, a demora já motivou o protesto dos comerciantes, devido a quebras nos negócios.

Desta vez, a suspensão temporária tem a ver com a "necessidade de cumprimento de isolamento profilático por parte da equipa do empreiteiro responsável pela obra", conforme explica a Câmara do Porto.

"A paragem deve-se à deteção de casos de covid-19 entre os trabalhadores e à necessidade de isolamento profilático dos restantes, determinada pela entidade de saúde competente", segundo é acrescentado.

"De acordo com o empreiteiro, não existe, por agora, capacidade para a substituição de recursos humanos adequados, pelo que os trabalhos serão interrompidos, previsivelmente, até 15 de novembro", adianta o Município.

Criar um corredor bus

A Avenida de Fernão de Magalhães está a sofrer uma intervenção de fundo, com o objetivo de ali ser criado um corredor bus de alta qualidade. A modernização da via visa também melhorar a fluidez da circulação automóvel, de modo a facilitar a saída do centro da cidade, num investimento de 5,3 milhões de euros.

PUB

Este montante inclui a pavimentação da faixa de rodagem, estacionamentos e passeios, a execução de novas infraestruturas hidráulicas e de telecomunicações, a instalação de redes modernas de iluminação pública e de semaforização, a renovação dos equipamentos de resíduos sólidos e a requalificação dos espaços verdes.

A obra divide-se em quatro fases. Em janeiro deste ano ficou completa a primeira etapa e parte da segunda, o que permitiu reabrir ao trânsito o troço entre o Campo de 24 de Agosto e o entroncamento com a Rua de Barros Lima. A Praça do Dr. Francisco Sá Carneiro será o último local a ser intervencionado.

Outras Notícias