Porto

Via Nun'Alvares terá projecto final ainda neste ano

Via Nun'Alvares terá projecto final ainda neste ano

Estão eleitos os cinco finalistas do projecto de loteamento e urbanização da futura Via Nun'Alvares. Não há gabinetes, mas arquitectos individuais: Carlos Prata, Paulo Silvestre, Rui Barros, João Álvaro Rocha e António Marques foram escolhidos entre os 12 do concurso.

No próximo mês, será adjudicado o projecto ao vencedor. O desenho definitivo estará pronto até ao final deste ano.

O projecto de loteamentos e áreas envolventes da futura Via Nun'Alvares, no Porto, que  ligará a Praça do Império à Avenida da Boavista, já na Foz, e que é um projecto em discussão desde os anos 1940, deu ontem um passo importante com o anúncio dos cinco finalistas do concurso público.

PUB

Os arquitectos escolhidos são os seguintes: Carlos Prata (em associação com os arquitectos João Pedro Serôdio e Nuno Brandão Costa), Paulo Silvestre, Rui Barros, João Álvaro Rocha e António Marques.

Os cinco revelaram pormenores dos seus projectos em evolução da Via - uma estrutura viária que servirá para desafogar o trânsito das avenidas Brasil e Montevideu- , naquela que foi a primeira sessão pública, realizada ontem na Fundação Cupertino de Miranda, na presença do vereador do Urbanismo da Câmara do Porto, Gonçalo Gonçalves.

"Estamos agora a meio de um processo de contratação pública. Os cinco finalistas estão escolhidos e foram aprovados em executivo camarário", disse o vereador Gonçalo Gonçalves. "Esta é a primeira fase importante do concurso e os cinco projectos já são agora propostas públicas", continuou o vereador.

"Não estamos ainda  a discutir prazos e modos, nem orçamentos, porque esses ainda vão ser negociados. Durante as próximas semanas, provavelmente até ao fim de Fevereiro, decorre o período de negociação do júri com os cinco concursantes para melhoramento e acerto das propostas".

Findo esse prazo, concluiu o vereador do urbanismo da Câmara do Porto "iniciar-se-á a segunda fase: adjudicação da obra ao arquitecto vencedor, que, de seguida apresentará os detalhes do seu projecto final".

De acordo com aquele responsável, esse período de desenvolvimento  de projecto - "porque as propostas não são estanques" - "deve demorar, no mínimo seis meses". Mesmo contabilizando eventuais atrasos, é seguro apontar que a Via Nun'Alvares vai ter projecto definitivo e apresentado até ao final deste ano.

Com uma área bruta de 307 mil metros quadrados encaixada entre a Praça do Império e o fim da Avenida da Boavista, o projecto da Via Nun' Álvares  terá que contemplar corredor Bus, Metro, ciclovia, zona pedonal e áreas definidas para estacionamento.

O conceito de preenchimento, comum  às cinco propostas finalistas, passará pelo equilíbrio entre a compacidade de áreas habitacionais  (entre prédios e unidades unifamiliares haverá sensivelmente 1200 fogos e uma nova população residencial de três mil pessoas) e a manutenção de grandes espaços vazios, com duas novas praças  como pulmão complementar ao Parque da Cidade (Ribeira de Nevogilde e Ribeira da Ervilheira), mais passeios generosos, alamedas e zonas verdes para metade de toda a área total.

A longa Via Nun'Alvares, que terá sempre a forma de uma grande alameda, poderá ter uma topologia semelhante à da Avenida Marechal Gomes da Costa, largamente citada como bom exemplo: duas faixas de rodagem de cada lado, passeios muito largos, separador central de zona verde, e uma ou duas vias para bicicletas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG