Autárquicas

Vladimiro Feliz: "As ruas mostram que o Porto quer mudar"

Vladimiro Feliz: "As ruas mostram que o Porto quer mudar"

Candidato do PSD observa "sinais de nervosismo" em Rui Moreira. E diz que lidera movimento de "cidadãos verdadeiramente independentes", entre os quais um apartidário que foi um prodigioso ambidestro do futebol e do F. C. Porto.

Campo 24 de Agosto, 17.45 horas desta sexta-feira, último dia da campanha para as eleições autárquicas. Vladimiro Feliz já vinha de um longo périplo por diversas praças e ruas de todo o município, mas ainda teve fôlego para mais uma escala, numa das mais populosas freguesias, a do Bonfim, no Porto medular, onde residem 35 mil habitantes, em três quilómetros quadrados, o que resulta numa das densidades populacionais mais altas do concelho e de todo o país.

À chegada, em plena hora de ponta, o candidato do PSD à Câmara Municipal insistiu no discurso das outras paragens: "As ruas mostram que o Porto quer mudar".

"Não sou de sondagens", disse o cabeça-de-lista do PSD, que, mesmo assim, observa que "ainda há 20% de indecisos" para capitalizar a favor da candidatura "laranja". Pediu "um voto de confiança dos portuenses" e lembrou "as provas dadas" durante os dois mandatos ao lado de Rui Rio, como vereador e como vice-presidente.

"Tutti frutti de partidos"

O candidato social-democrata prometeu um "Porto de futuro, em contraste com o Porto que marque passo, como foi verificado na cidade nos últimos oito anos".

"Portanto - acrescentou Vladimiro Feliz -, quem quiser futuro tem-nos a nós, quem quiser ficar agarrado ao passado tem Rui Moreira".

PUB

O social-democrata insiste que "o Porto só pode mudar com a marca do PSD" e frisa que lidera "uma candidatura de cidadãos verdadeiramente independentes, que não ligam e desligam conforme o partido está ou não no poder".

Em oposição, vê na candidatura independente de Rui Moreira "sinais de nervosismo, num tutti frutti de partidos, com o apoio da Iniciativa Liberal e do CDS - ou por alguns, porque outros estão connosco -, pelo Nós Cidadãos, pelo Movimento Partido da Terra e, muita vezes, pelo dr. António Costa".

"Já na nossa lista temos cidadãos verdadeiramente independentes. Nunca tiveram qualquer partido", considerou o engenheiro de 47 anos.

Domingos Paciência apoia caravana laranja

No sprint final da campanha, Vladimiro Feliz contou, precisamente, com a declaração de apoio de um apartidário assumido, não tivesse Domingos Paciência entrado para os anais do futebol com um dos mais geniais ambidestros, autor de centenas de golos, distribuídos, em doses semelhantes, pelo pé direito e pelo esquerdo.

"Não tenho partido. Acredito é nas pessoas. Estou na lista de honra da candidatura de um amigo, que conheço há uns bons anos, desde que participámos juntos nas corridas da Boavista. Vim dar o meu apoio, porque me identifico com o que Vladimiro Feliz pretende para o Porto. Ele está no caminho certo. Claro que não é fácil, em função da conjuntura dos últimos oito anos, mas nunca de sabe. É uma questão de as pessoas acreditarem na mudança", rematou o antigo craque do F. C. Porto.

A arruada "laranja" foi também a declaração de um último apoio ao candidato do PSD num território igualmente dominado pelo movimento independente de Rui Moreira. A João Luís Ferreira cabe melhorar os resultados do PSD na Junta de Freguesia de Bonfim, onde os sociais-democratas obtiveram 15% dos votos nas eleições de 2017 (três mandatos, contra seis do PS e oito do movimento independente de Moreira).

O lema "Princípio, Meio e Bonfim" orienta o jovem advogado de 30 anos: "Queremos responder às necessidades da população, criar novas estruturas sociais, desenvolver áreas verdes e proporcionar uma vida feliz. O Porto precisa de mudança e nós somos a melhor alternativa".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG