Acidente

GNR já sabe quem atropelou estudante de medicina na Póvoa de Varzim

GNR já sabe quem atropelou estudante de medicina na Póvoa de Varzim

Tem 33 anos, reside em Laundos (Póvoa de Varzim), não tem carta de condução e seguia num carro roubado. É este o homem que, no domingo, atropelou um jovem estudante de medicina de 24 anos, pondo-se em fuga e deixando-o, em estado grave, sem ajuda. O condutor do Opel Astra branco terá sido denunciado por um popular. Já prestou declarações à GNR. Foi constituído arguido. Miguel Peliteiro está em coma induzido no Hospital de S. João, no Porto, e pode ficar sem o braço direito.

O acidente foi às 13.05 horas de domingo. Miguel Peliteiro seguia de bicicleta na ciclovia Póvoa-Famalicão quando, no cruzamento com a rua dos Fangueiros, em Laundos, foi atropelado por um carro, que se pôs em fuga sem prestar auxílio ao jovem estudante poveiro. Miguel acabaria por ser socorrido por um popular que, a caminhar na ciclovia, o encontrou inanimado, minutos depois do acidente.

No mesmo dia, o pai, Jorge Peliteiro, fez um apelo nas redes sociais. Pedia a quem tivesse alguma informação que contactasse a GNR. O apelo tem já 26 mil partilhas.

Na segunda-feira, num terreno próximo do local do acidente, a GNR encontrou a viatura, que estava dada como roubada pela proprietária.

Quarta-feira, elementos da investigação criminal da GNR foram a casa buscar o condutor de 33 anos. O indivíduo, que já terá estado emigrado em França, mas está, agora, desempregado, acabou por confessar o atropelamento. Foi denunciado por um popular e "traído" por imagens de videovigilância. Ao que o JN apurou, não terá carta de condução. Foi constituído arguido e está já em casa, onde aguardará o julgamento.

PUB

O ciclista, estudante do 6.º ano de medicina na Universidade de Barcelona, que queria ser cirurgião, foi deixado no chão sem auxílio em estado grave. Foi já sujeito a uma delicada cirurgia ao braço direito e está, agora, em coma induzido. O braço está em risco de ter que ser amputado, mas Miguel está "estável" e não corre risco de vida.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG