Polémica

Governo quer agir judicialmente contra designer que imitou camisola poveira

Governo quer agir judicialmente contra designer que imitou camisola poveira

O Governo português anunciou, esta sexta-feira, a intenção de agir judicialmente, e por outras vias admissíveis, para defender a camisola poveira, após terem sido reveladas imagens de alegadas imitações à venda por uma designer norte-americana.

"A ministra da Cultura, Graça Fonseca, tomou a iniciativa de solicitar a identificação das vias judiciais e extrajudiciais ao dispor do Estado português para defender a camisola poveira enquanto património cultural português", anunciou o Governo, em comunicado enviado às redações.

"O Governo, tendo comunicado a sua intenção à Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, fará o que estiver ao seu alcance para que quem já reconheceu publicamente o seu erro não se demita das suas responsabilidades e corrija a injustiça cometida, compensando a comunidade poveira", lê-se no documento, em que alude ao facto de Tory Burch ter pedido desculpa aos portugueses por referir que o modelo que comercializa ser inspirado em Baja, no México, ignorando as semelhanças com o traje poveiro.

No comunicado, o Governo assume como prioritária "a valorização, proteção, preservação e salvaguarda do património imaterial português, como um importante ativo cultural e económico", anunciando que está a criar a Associação para o Saber Fazer, que surge na sequência da recente aprovação da Estratégia Nacional para o Saber Fazer Português.

"Após ter tomado conhecimento das suspeitas de uma eventual apropriação abusiva de um importante património imaterial português - a camisola poveira - o Governo está determinado em agir em conformidade na proteção deste Saber Fazer português", acrescenta a nota, divulgada ao início desta tarde de sexta-feira, horas depois de o JN ter noticiado outra polémica com Tory Burch - uma alface em tudo idêntica à couve de Bordallo Pinheiro, criada há mais de 100 anos.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG