Curto-circuito

Incêndio destrói pavilhão da Escola Nova na Póvoa de Varzim

Incêndio destrói pavilhão da Escola Nova na Póvoa de Varzim

Um violento incêndio destruiu por completo, na madrugada desta quarta-feira, o pavilhão da Escola Nova, na Póvoa de Varzim.

O espaço, contíguo à escola do 1.º Ciclo, servia de ginásio, sala de apoio ao estudo e espaço para atividades e reuniões. Tinha sido inaugurado há um ano. A "Nova" continua a funcionar normalmente, mas, nos próximos meses, as aulas de educação física dos 170 alunos terão que voltar a ser praticadas no coberto ou ao ar livre.

"Só ficaram as paredes e o telhado. Foram os vidros, as caixilharias, todo o material que estava guardado lá dentro, mesas, cadeiras, armários", explicou, ao JN, o vereador da Educação da Câmara da Póvoa, Luís Diamantino, que, logo às primeiras horas da manhã, esteve na escola, com direção e Associação de Pais, a avaliar os danos.

O alerta para o incêndio caiu no quartel dos Bombeiros da Póvoa pouco depois das 4 horas. À chegada ao local, já o pavilhão estava completamente tomado pelo fogo. A preocupação foi evitar que as chamas se propagassem ao edifício das salas de aula.

O comandante dos Bombeiros, Francisco Nova, admite que o quadro elétrico ficou "totalmente destruído", por um curto-circuito poderá ter estado na origem do incêndio. Ainda assim, a PSP esteve no local e só as perícias poderão, agora, ajudar a identificar as causas.

Luís Diamantino diz que os arquitetos responsáveis pelo projeto já estiveram na escola. Agora, acrescenta, "é arregaçar as mangas, preparar um caderno de encargos, lançar a obra e refazer o pavilhão o mais rápido possível".

O pavilhão custou mais de 300 mil euros e tinha sido inaugurado em setembro de 2020. Tinha sido uma promessa da Câmara, sensível aos apelos da comunidade escolar, que se queixava da falta de um espaço fechado para a prática de educação física e de outras atividades extracurriculares.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG