Protesto

Demolição da praça de touros da Póvoa de Varzim é "ditatorial"

Demolição da praça de touros da Póvoa de Varzim é "ditatorial"

O Movimento a Favor das Corridas de Touros na Póvoa de Varzim classificou, esta terça-feira, de "iniciativa ditatorial" a decisão da autarquia de demolir a praça de touros na cidade.

O movimento que defende a realização de espetáculos tauromáquicos na arena poveira considerou que o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, está a cometer um "atentado ao património e à cultura".

"A decisão de destruir a praça de touros é mais uma iniciativa ditatorial de quem está no poder para impor as preferências pessoais aos poveiros. É um ataque a quem, como nós, defende os valores da democracia, da liberdade e da diversidade. É um ataque e um desrespeito à memória dos milhares de poveiros que frequentaram as touradas na cidade e ajudaram a construir a praça", partilhou, em comunicado o movimento.

Os contestatários responsabilizam Aires Pereira pela decisão, considerando que o autarca "está apenas de passagem no lugar que ocupa, mas está a destruir um património e cultura que são de todos os poveiros e que lhe compete preservar".

"Os cidadãos da Póvoa de Varzim, gostem ou não de touradas, não pactuam com este atentado e estão mobilizados no combate às ilegalidades cometidas por este executivo contra a Cultura e liberdade dos cidadãos. Já não bastava a proibição ilegal e nula das touradas no concelho, agora a tentativa de destruir o nosso património", pode ler-se no comunicado.

Apesar da intenção da autarquia demolir a praça de touros, para no mesmo lugar construir um equipamento multiusos, o movimento garantiu uma "posição firme na defesa deste património poveiro e tudo faremos para preservar a praça e a cultura taurina da nossa cidade".

O concurso para a empreitada de reconversão do equipamento será aberto em julho, e a autarquia poveira espera que já no final deste verão as operações de demolição e reconstrução possam avançar, com um prazo de execução de 18 meses.

A praça de touros poveira foi inaugurada em junho de 1949 e desde 1983 que está sob a esfera municipal.

A reconversão do espaço insere-se numa decisão de política, tomada o ano passado, em que o município nortenho se declarou antitouradas.