Centro Social

Padre afasta funcionária por não trabalhar ao domingo

Padre afasta funcionária por não trabalhar ao domingo

Uma auxiliar do Centro Social e Paroquial de Aver-o-Mar, na Póvoa de Varzim, acusa a instituição de não lhe pagar salário desde agosto de 2015 e de, agora, impedi-la de entrar nas instalações.

Tudo porque, segundo diz, recusou uma mudança de horário que a obriga a trabalhar ao domingo. Na quarta-feira, a PSP foi chamada ao local. O diretor do centro, o padre Joaquim Amorim, remete-se ao silêncio.

"Em meados de agosto de 2015, no meu último dia de férias, recebi uma carta a dizer que, a partir do dia seguinte, tinha um novo horário, das 12.45 às 21 horas, e passava a trabalhar sábados e domingos. Não aceitei. A partir desse dia, nunca mais recebi ordenado", explicou, ao JN, Margarida Magalhães, que, com 11 anos de serviço, teve sempre um horário de segunda a sexta, das 9 às 19 horas.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG