Proposta

PSD chumba benefícios para os bombeiros da Póvoa

PSD chumba benefícios para os bombeiros da Póvoa

O PS propunha uma série de regalias para quem é bombeiro voluntário na Póvoa de Varzim, como forma de incentivar o altruísmo e cativar novos elementos. O PSD disse não. A maioria fala numa proposta "cega" e "discricionária".

Uma bolsa anual de serviço, a redução de 50% na fatura da água, a isenção de IMI, taxas de construção e pagamento de estacionamento, reembolso do valor do passe dos transportes públicos e de 50% das despesas com creches e jardins-de-infância, refeições gratuitas para os filhos no 1.º Ciclo, acesso gratuito a espetáculos culturais municipais e à Varzim Lazer. Eram estes os benefícios para os voluntários, previstos no regulamento que o PS levou à reunião do executivo.

O presidente da Câmara, Aires Pereira, diz que "introduzia bastantes desigualdades" ao prever isenções em áreas "que não atingiam todos por igual". Explica ainda que o "Natal do Bombeiro" - para o qual a Câmara contribuiu, este ano, com 24 mil euros - já é a tal "bolsa anual", mas paga de forma "mais justa", em função da participação de cada um nas ocorrências da corporação. Quanto às entradas nas piscinas municipais e nos espetáculos, frisa, "já são gratuitas".

O socialista João Trocado diz que era "uma proposta séria", cujo chumbo demonstra bem as "prioridades diferentes" de PS e PSD. Os voluntários têm vindo a descer e, em breve, receia, se nada for feito para os "acarinhar", a Póvoa pode ser obrigada a criar um corpo municipal para assegurar o socorro.

"Não há nenhuma instituição que não se queixe da falta de voluntariado, mas também não me parece que é com medidas destas, discricionárias, que vamos aumentá-los", respondeu o edil.

Das 47 corporações de bombeiros no distrito do Porto, a Póvoa está entre as cinco com maior número de ocorrências.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG