Trofa

Falhas de energia provocam "graves prejuízos" em empresas da Trofa

Falhas de energia provocam "graves prejuízos" em empresas da Trofa

A Associação Empresarial do Baixo Ave pediu esta quinta-feira esclarecimentos à EDP Distribuição sobre o facto de "dezenas de empresas" da Trofa estarem a "sofrer graves prejuízos" devido a "falhas de energia".

Em declarações à agência Lusa o responsável da Associação Empresarial do Baixo Ave (AEBA), José Manuel Fernandes, descreveu ter sido contactado por pequenas e médias empresas que dizem estar a registar "cortes sucessivos na alimentação elétrica" o que motivou o envio de uma carta à EDP Distribuição.

"Vimos, em nome de dezenas de empresas do setor da Indústria, Comércio e Serviços manifestar a nossa preocupação e pedir esclarecimento sobre o facto de estarem a acontecer de forma recorrente, desde há duas semanas, interrupções abruptas e sucessivas no fornecimento de energia elétrica", lê-se na carta enviada pela associação com data de quarta-feira.

Segundo o presidente da AEBA, a situação tem acontecido com mais frequência nas zonas de S. Martinho e Santiago de Bougado, concelho da Trofa, distrito do Porto, e as empresas afetadas não receberam "informação preventiva" sobre possíveis cortes.

"Em certo tipo de equipamentos isto resulta em períodos mortos de paragem. As empresas não podem produzir, o que gera prejuízo porque existem encargos fixos", lamentou José Manuel Fernandes, descrevendo casos registados segunda-feira em que "várias empresas" até às 11:00 registaram "cinco cortes sucessivos" de eletricidade.

"Ninguém sabe o porquê destes cortes. Estamos preocupados. Tem de haver alguma retificação, alguma atenção nem que isso exija um investimento corretivo", defendeu o responsável da associação que representa cerca de 650 empresas de cinco concelhos do Baixo Ave.

José Manuel Fernandes teme que esta situação crie "prejuízos muito elevados" porque além da necessidade de parar a produção, acresce a reprogramação dos equipamentos, uma vez que, descreveu o responsável, "há equipamentos que não estão preparados para os cortes, o que provoca descontrolo".

A afetação de compromissos perante os clientes das empresas afetadas é outra das preocupações da AEBA que promete "insistir" junto dos responsáveis pela alimentação elétrica "até obter uma resposta e uma solução".

A agência Lusa contactou a EDP Distribuição que, em resposta escrita, informou não ter localizado a carta enviada pela associação do Baixo Ave, no entanto, "desconhecendo o teor" da missiva, a empresa de eletricidade afirmou não ter "registos de incidentes que indiciem má qualidade de serviço no concelho da Trofa".

"A EDP Distribuição tem vindo a efetuar avultados investimentos na rede de Média Tensão do concelho da Trofa para garantir a melhor qualidade de serviço a todos os clientes", lê-se na resposta da empresa.

Outros Artigos Recomendados