Trofa

Anúncio de fachada para a linha da Trofa

Em Setembro, vésperas de eleições, a então secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, foi à Trofa assinalar a abertura do concurso público para a construção da linha do metro até à cidade. Volvidos três meses, ainda não foi lançado.

Afinal, nessa data, apenas tinha sido concedida a autorização governamental para a realização do concurso público. Mas, a 5 de Setembro, a Empresa do Metro ainda não dispunha de condições para avançar com esse procedimento nem tinha a perspectiva de realizar qualquer cerimónia sobre a expansão da Linha Verde entre o ISMAI e a Paradela. O evento foi promovido a pedido da Secretaria de Estado dos Transportes.

Na Trofa, a ex-secretária de Estado dos Transportes e então candidata à Assembleia da República pela lista do PS deixou a garantia de que, sem mais adiamentos, o primeiro passo para a execução da linha, orçada em 140 milhões de euros, aconteceria por aqueles dias com o lançamento do concurso público. No seu discurso, ficou claro de que estava na cidade para assinalar esse momento e de que a ligação era para "construir já" (ler Discurso Directo).

Só que, por aqueles dias, a Metro estava a dar início ao processo de revisão geral do projecto de execução da linha. Face à complexidade das obras de arte e ao curto espaço de tempo (menos de um ano) em que foram desenvolvidos os desenhos, a empresa entendia que ainda não havia boas condições de segurança e de qualidade para lançar o concurso com base naquele projecto. E, por isso, procedia à revisão geral.

A promessa, feita à população da Trofa na cerimónia, não se cumpriu. Circunstância que merece o lamento da actual presidente da Câmara local, a socialista Joana Lima. "Na altura, até participei nesse evento supostamente de lançamento do concurso. Fui surpreendida pelas notícias e lamento que não tenha sucedido", sublinhou a autarca, assinalando, contudo, que a cerimónia decorreu numa altura em que se seguiram mudanças nas administrações Central e Local consequentes do período eleitoral.

Fonte da Empresa do Metro garante que, neste momento e feitos os reajustes ao projecto, já podem avançar com o concurso público para a expansão da Linha Verde entre ISMAI e Paradela. Tudo indica que ocorrerá até ao final deste ano, apesar de faltarem apenas duas semanas muito marcadas pelas festas de Natal e de Ano Novo. A expectativa de Joana Lima é que essa nova data se concretize. "Deram-me a certeza de que será lançado ainda este ano. Enquanto trofense, lamento terem demorado tanto tempo para construir esta linha. O concelho era servido por uma linha de comboio, que lhe foi retirada há oito anos. A Trofa precisa e tem direito ao metro", continua.

A autarca realça, ainda, que exigirá o cumprimento do "timing", avançado pela ex-secretária de Estado dos Transportes na cerimónia de Setembro. Ou seja, as composições do metro terão de chegar à Paradela em 2012.

O JN tentou ouvir o anterior presidente da Câmara da Trofa, Bernardino Vasconcelos, que optou pelo silêncio, e a ex-governante Ana Paula Vitorino, que não respondeu em tempo útil.