O Jogo ao Vivo

Polémica

PS Trofa estranha "silêncio do PSD" sobre polémica da "câmara de gás"

PS Trofa estranha "silêncio do PSD" sobre polémica da "câmara de gás"

O PS Trofa considera que a explicação dada pelo presidente da Câmara, Sérgio Humberto, na terça-feira, para justificar o "gosto" que colocou numa publicação no Facebook em que é sugerida uma "câmara de gás" para a Assembleia da República (AR), é "inconsequente e uma tentativa de branquear" o "lamentável episódio".

Em comunicado, o presidente da concelhia socialista, Amadeu Dias, pede uma reação "oficial" do PSD à atitude do autarca laranja, e alerta para a necessidade de "apurar responsabilidades e pedir o respeito necessário pelos órgãos de soberania democráticos".

"É com legítima preocupação que, num momento de apelo à unidade democrática, o PS Trofa regista o silêncio do Partido Social Democrata, que, até ao momento, não tomou qualquer posição oficial em relação a este episódio infeliz", sublinha o socialista.

Na publicação referida, da autoria do coordenador dos assistentes operacionais do Município, este insurge-se contra a celebração do 25 de Abril no Parlamento, sugerindo para a AR uma ação idêntica aos extermínios levados a cabo pelo regime nazi, que durante a Segunda Guerra Mundial matava os presos dos campos de concentração em câmaras de gás.

Autarca pôs "gosto" em duas publicações

"Se houver quem ponha aquele espaço a funcionar como uma câmara de gás, eu pago o gás", escreveu o indivíduo no perfil de Facebook, no dia 19 de abril, reafirmando tudo em novo "post", que também publicou no grupo público "Trofa", no passado domingo, um dia depois de o JN ter noticiado que o autarca do PSD havia dado o aval, a partir do seu perfil pessoal no Facebook, ao texto inicial.

PUB

Tal como a primeira publicação, também a segunda teve a anuência de Sérgio Humberto, com novo "gosto", desta vez naquele grupo de Facebook, novamente a partir do seu perfil pessoal. Neste novo "post", o funcionário público começa por escrever, de forma visível: "venho por este meio afirmar e reafirmar que se for preciso pago o gás".

"Recorda-se aos mais desatentos que o "gosto" não foi feito apenas uma vez, como replicado numa outra publicação com o mesmo teor e do mesmo autor", lembra o líder da concelhia rosa, para sustentar que a argumentação de Sérgio Humberto, baseada na tese de que não terá lido até ao fim a publicação inicial, que é rematada com a afirmação que sugere que os deputados da AR sejam gaseados, "não é aceite como justificação".

"Esta atitude revela incoerência e desnorte, numa postura irresponsável e de impunidade que não se coaduna com a atuação de um autarca eleito democraticamente", vinca o PS Trofa, salientando que "um ato de um responsável político numa plataforma pública, como é o caso do Facebook, é, por inerência, um ato político e público, que consequentemente merece o escrutínio dos seus efeitos e das intenções que estiveram na origem".

Os socialistas exigem ainda a "responsabilização perante a declaração que foi escrita e as devidas consequências" para o funcionário municipal que afirmou publicamente estar disponível para patrocinar uma ação de extermínio na Assembleia da República.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG