Valongo

Câmara de Valongo quer mais casas no mercado de arrendamento social

Câmara de Valongo quer mais casas no mercado de arrendamento social

A câmara de Valongo tem vindo a "dialogar" com o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana para conseguir colocar no mercado de arrendamento social mais de meia centena de casas, revelou, esta segunda-feira, o presidente desta autarquia.

"São 51 habitações localizadas no Mirante dos Sonhos [freguesia de Ermesinde] que estão há anos em fase de conclusão. A empresa que as estava a construir faliu e o IHRU tomou posse do empreendimento. Estamos em diálogo e até já pedi reuniões com a tutela para resolver este assunto", disse o presidente da câmara.

O autarca de Valongo, José Manuel Ribeiro, falava aos jornalistas após a entrega de chaves de nove casas sociais, tendo anunciado que está "preocupado" com os cerca de 800 agregados familiares que estão em lista de espera para receber habitação.

Segundo José Manuel Ribeiro apenas cerca de 8% dos pedidos de habitação prendem-se com "questões de salubridade das casas atuais", ou seja mais de 90% dos casos deve-se a dificuldades financeiras.

O autarca revelou ainda que "nos últimos dois anos registaram-se, em média, mais nove pedidos por mês", um dado que "preocupa" a câmara uma vez que está estar impedida de recorrer ao crédito para construir novas habitações.

"As alternativas são, portanto, conseguir desbloquear a situação de Ermesinde junto do IHRU, fazer uma gestão muitíssimo rigorosa do parque habitacional atual e sensibilizar a Banca para que enquadre habitações no mercado de arrendamento normal mas a preços acessíveis", enumerou José Manuel Ribeiro.

Sobre a sensibilização junto da Banca, o autarca revelou que a Caixa Geral de Depósitos "abordou a autarquia para anunciar que vai gerir dois prédios que estão abandonados em Valongo" e a câmara tem "expectativa de que os preços serão, ainda que de âmbito privado, acessíveis".

Relativamente ao parque de habitação social atual, que é gerido pela empresa municipal Vallis Habita, José Manuel Ribeiro aproveitou a cerimónia desta segunda-feira para apelar aos novos "inquilinos" que "estimem muito bem as casas".

"Esta pedagogia é importante porque às vezes recebemos casas muito degradadas e se a nossa preocupação é distribuir o mais rápido possível o que fica vago, temos de apelar às pessoas", referiu.

Das nove habitações entregues, oito localizam-se em Ermesinde, no empreendimento de Habitação Social da Palmilheira, Mirante de Sonhos e Saibreiras, e uma na freguesia de Sobrado, empreendimento de Habitação Social do Baldeirão II. Duas são de tipologia T1, cinco de tipologia T2, uma de tipologia T3 e uma de tipologia T4.

As famílias contempladas são oriundas de Campo, Ermesinde, Sobrado e Valongo.

A autarquia de Valongo anunciou, ainda, que a Vallis Habita vai mudar de instalações, sendo alojada em espaço público da câmara de forma a conseguir uma poupança de cerca de 10 a 11 mil euros anuais.