Valongo

Cinco mortes por Covid-19 em lar de Alfena

Cinco mortes por Covid-19 em lar de Alfena

O Centro Social e Paroquial de Alfena, em Valongo, admitiu, na quinta-feira, que houve já cinco mortes por Covid-19 no pólo 1 da estrutura residencial para idosos.

"Lamentamos cinco mortes e reforçamos as condolências às famílias, nesta fase em que até o luto é estranho", escreveu o Centro Social e Paroquial de Alfena (CSPA) num comunicado em que assumem a infeção de vários utentes e funcionários.

Há "utentes assintomáticos, outros que inspiram vigilância mais apertada e alguns que, por incapacidade de assistência na nossa estrutura, tivemos que encaminhar ao serviço de urgência e estão agora internados e a receber cuidados no Hospital São João", explicam os responsáveis.

PUB

Os utentes e funcionários já foram testados no dia 8, mas ainda não são ainda conhecidos os resultados de 11 testes.

O CSPA diz ter seguido as orientações da Direção-Geral da Saúde, coma a suspensão de visitas, a redução do fluxo de pessoas a circular, o afastamento dos utentes, o uso de equipamentos de proteção individual e a reorganização de equipas. Ainda assim, surgiu uma pessoa com sintomas positivos a 29 de março.

"Pedimos ajuda à Unidade de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde Maia/Valongo, solicitando 218 testes, para os 133 utentes e 85 trabalhadores que deles cuidam. Queríamos "testar, testar, testar"", sustentam, lamentando a demora da resposta.

"A resposta não foi tão rápida como desejávamos. Há processos que nos ultrapassam e que são escrutinados superiormente. Hoje estamos num patamar diferente desta crise. Há utentes infetados e trabalhadoras também", reconheciam no passado dia 9 de abril.

Hoje, a situação mudou e são já cinco as mortes confirmadas e os dois pólos do lar vivem "numa situação de extrema oposição". "Nas unidades residenciais do CSPA-Pólo 2 todos testaram negativo, enquanto no CSPA-Pólo 1 a realidade é contrastante. Não conseguimos conter a entrada do vírus, a situação foi-se desenvolvendo e está, neste momento, no ponto mais crítico da sua evolução. Temos utentes assintomáticos, outros que inspiram vigilância mais apertada e alguns que, por incapacidade de assistência na nossa estrutura, tivemos que encaminhar ao serviço de urgência e estão agora internados e a receber cuidados no Hospital São João", explica a instituição na nota.

A informação sobre o quadro clínico de cada idoso está a ser atualizada pela diretora técnica junto do familiar responsável.

"No CSPA-Pólo 1, há uma equipa a serviço desde o dia 5 de Abril. O grupo de trabalhadoras está confinado à instituição, para eliminar qualquer hipótese de propagação do vírus. Estão a fazer o melhor que sabem!", alega o centro social.

A Câmara Municipal de Valongo, a Proteção Civil, o ACeS Maia/Valongo, os Bombeiros Voluntários de Ermesinde e a Junta de Freguesia de Alfena estão a par da situação.

A Direção-Geral da Saúde dava conta de 552 casos positivos no concelho de Valongo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG