Valongo

Esperaram mais de quatro horas por vacinas que só chegaram à noite

Esperaram mais de quatro horas por vacinas que só chegaram à noite

Já passava das 20.30 horas desta segunda-feira e vários utentes ainda estavam a sair do centro de vacinação em Valongo, indignados com mais de quatro horas de espera.

Alguns com mais de 70 anos contaram ao JN que primeiro foram chamados para as 10 horas, depois remarcados para as 16 e acabaram por ficaram retidos quatro horas porque as suas vacinas, da Pfizer, só chegaram por volta das 20 horas.

"O Serviço Nacional de Saúde anda a monte", desabafou Fernando Ferreira da Rocha, de 75 anos, à saída do edifício "Fábrica". "Não havia vacinas", lamentou, após uma longa espera.

De uma centena de pessoas, houve quem desistisse e fosse embora ou então quem resolvesse arriscar e ir a casa. Foi o caso de António Oliveira e Maria Celeste, ambos de 78 anos. A mulher estava com frio, foram a casa e aproveitaram para comer alguma coisa, contaram ao JN. Voltaram a tempo de tomar a sua dose contra a covid-19. Inicialmente o casal também estava marcado para as 10 horas.

Já Elisabete Coelho ficou o tempo todo à espera, durante mais de quatro horas, com a mãe de 71 anos. A sua vacinação só foi feita às 20.20 horas.

"Ao longo da tarde foram avisando que as vacinas da Pfizer estavam atrasadas" e, lá´dentro, falava-se de "um acidente com um camião que atrasou a entrega", contaram os utentes. Entretanto, vinham ao exterior perguntar por utentes com outras marcas de vacina.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG