Valongo

Corpos das vítimas de queda de helicóptero do INEM já foram retirados

Corpos das vítimas de queda de helicóptero do INEM já foram retirados

Os corpos das quatro vítimas da queda de um helicóptero do INEM em Valongo já foram recolhidos e encaminhados para o Instituto de Medicina Legal (IML), informou a Proteção Civil.

No "briefing" desta tarde de domingo, a operação de socorros foi dada como encerrada, mas os destroços do helicóptero ainda estão no local.

Marco Martins, presidente da Comissão Distrital do Porto da Proteção Civil disse tratar-se de uma informação "confirmada".

"Já foram recolhidos os quatro corpos e já foram conduzidos ao IML", observou, referindo-se às vítimas da queda de um helicóptero do INEM, ao final da tarde de sábado, no concelho de Valongo, distrito do Porto, que causou a morte aos quatro ocupantes.

A bordo do aparelho, que estava ao serviço do INEM, seguiam dois pilotos e uma equipa médica, composta por médico e enfermeira.

A viatura regressava à sua base, em Macedo de Cavaleiros, Bragança, após ter realizado uma missão de emergência médica de transporte de uma doente grave para o Hospital de Santo António, no Porto.

Segundo o INEM avançou no sábado, a aeronave estava desaparecida desde as 18.30 horas.

A Proteção Civil distrital recebeu o alerta para o acidente e desencadeou os meios de socorro para o local pelas 20.15 horas.

A aeronave em causa é uma Agusta A109S, operada pela empresa Babcock.

Este é o acidente aéreo mais grave ocorrido este ano em Portugal, elevando para seis o número de vítimas mortais em acidentes com aeronaves desde janeiro.