Valongo

Héli do INEM em zona de difícil acesso dificulta operações

Héli do INEM em zona de difícil acesso dificulta operações

Este domingo há vários meios mobilizados na Serra de Santa Justa, em Valongo. Objetivo é recuperar os corpos e recolher indícios que permitam explicar a queda de um helicóptero do INEM com quatro ocupantes.

As operações na Serra de Santa Justa decorrem este domingo de manhã com vários meios envolvidos com vista a recuperar os corpos dos quatro ocupantes do helicóptero do INEM, que se despenhou sábado à noite. Tinha descolado do Porto ia reabastecer no heliporto de Baltar (Paredes) e tinha como destino a base de Macedo de Cavaleiros, distrito de Bragança.

Carlos Alves, comandante distrital de Operações de Socorro do Porto, explicou, cerca das 11.30 horas, que a primeira fase das operações é criar acessos. "O helicóptero está numa zona sinuosa que dificulta as operações", disse.

A segunda fase das operações será remover os corpos - dois estão dentro do veículo e outros dois fora. "Dois corpos serão mais fácil remover, os outros dois irão demorar mais porque precisam de ser desencarcerados", acrescentou, estimando que os trabalhos sejam concluídos durante o dia.

Uma equipa do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e Acidentes Ferroviários (GPIAAF) vai averiguar a queda do helicóptero de emergência médica, que causou quatro mortos, sábado à noite em Valongo, disse à Lusa fonte do organismo.

Fonte oficial do organismo acrescentou que uma equipa do GPIAFF vai deslocar-se ao local do acidente para recolha de dados e consequente investigação.

O helicóptero, ao serviço do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), foi localizado na Serra de Santa Justa, Valongo, cerca da 01.40 horas e os quatro ocupantes morreram.

A aeronave desapareceu dos radares perto das 18.30 horas de sábado, na zona de Valongo.

"A aeronave em questão regressava à sua base, em Macedo de Cavaleiros, distrito de Bragança, após ter realizado uma missão de emergência médica de transporte de um doente grave para o Hospital de Santo António, no Porto", adiantou o INEM, em comunicado.

De acordo com o INEM, a bordo do helicóptero de emergência médica seguiam "dois pilotos e uma equipa médica, composta por médico e enfermeiro".

O helicóptero em questão é um Augusta A109S, operado pela empresa Babcock, de acordo com o INEM.