O Jogo ao Vivo

Ambiente

Parque das Serras do Porto com estudo de avaliação da sensibilidade visual

Parque das Serras do Porto com estudo de avaliação da sensibilidade visual

Trata-se de "ferramenta de análise de incidências no território" e que pretende evitar possíveis formas de agressão, como a pressão atualmente exercida, nomeadamente pela indústria eólica.

Reforçar e salvaguardar as áreas de maior sensibilidade visual é o objetivo do estudo apresentado na manhã desta terça-feira pela Associação de Municípios Parque das Serras do Porto que tem agora ao dispor um instrumento técnico e para uso nas decisões políticas quanto ao futuro do grande pulmão verde da Área Metropolitana do Porto, isto numa altura em que estas serras começam a sofrer a pressão por parte de interesses da área da energia eólica e até mineira.

"Quem é que não é a favor das energias renováveis? Mas não pode ser a todo o custo", afirmou Teresa Andresen que juntamente com Gonçalo Andrade são os arquitetos responsáveis pelo estudo que definiu vários pontos de observação, uns fixos (população residente) e outros móveis (visitantes) e as áreas de sensibilização visual, as de elevada sensibilização e as de muito elevada.

E são estas últimas que os responsáveis pretendem incluir e trabalhar, juntamente com o plano de gestão do Parque das Serras, para que esta área de 3,2 hectares, de um total de seis que o parque tem, seja salvaguardada o que nem sempre é fácil, como referiu o presidente da Câmara de Valongo, por se tratar de espaços do domínio privado. Contudo, para Teresa Andresen esta "é a grande oportunidade" de proteção até porque, numa altura em que há uma "reconciliação com a natureza, é bom ter à beirinha de concelhos urbanos uma paisagem como esta, ainda por cima quando já temos um litoral já muito castigado".

Valongo, Gondomar e Paredes são os "três municípios unidos e a pensar neste problema" embora "a exposição visual das serras vá para além do parque" e as serras sejam já procuradas por visitantes de diversas zonas do país. Para o autarca de Valongo, José Manuel Ribeiro, que participou na apresentação, este estudo passa a ser "um conhecimento importante para as decisões políticas" quanto ao ordenamento e preservação deste território verde.

O Parque das Serras do Porto (PSeP) é uma paisagem protegida regional e um projeto concebido pelos municípios de Gondomar, Paredes e Valongo e que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Com uma área de quase 6 mil hectares, o PSeP inclui as Serras de Santa Justa, Pias, Castiçal, Flores, Santa Iria e Banjas.

O PSeP tem desde 2018 um Plano de Gestão que envolveu um trabalho multidisciplinar com consultores externos e equipas técnicas municipais, numa coordenação também da arquiteta Teresa Andresen e onde são delineadas as medidas de ação e de preservação dos valores naturais e culturais, da sua distribuição no Parque assim como apresenta um diagnóstico da ocupação do solo e a sua evolução e da ocorrência de incêndios.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG