Covid-19

Boa afluência à vacinação das crianças em Vila do Conde

Boa afluência à vacinação das crianças em Vila do Conde

"Não quero apanhar covid, porque não quero ficar fechado em casa", diz, convicto, Tiago Fernandes, do alto dos seus 11 anos. É karateca e "muito bom aluno". Agora, com as duas doses já tomadas, sente-se "muito mais protegido" e "não doeu nada".

Durante o dia de hoje, há mais de 500 crianças agendadas para a vacinação em Vila do Conde. Os desenhos e as pinturas faciais ajudam, por ali, a passar o tempo e a acalmar os nervos da pequenada. Há tarde, há casa aberta para os maiores de 18 anos. A adesão supera, em muito, a média nacional: na Póvoa e em Vila do Conde, já receberam a primeira dose 60,5% das crianças entre os 5 e os 11 anos.

"A afluência está a ser muito boa. Ontem, vacinamos 600 crianças. Hoje, temos mais de 500 com marcação", explicou, ao JN, a enfermeira, Elisa Meira, que coordena o Centro de Vacinação de Vila do Conde, instalado no pavilhão do Parque de Jogos, em pleno centro da cidade.

PUB

Pelo caminho e fruto das elevadas taxas de infeção das últimas semanas, algumas faltam à chamada, mas ainda assim, frisa a diretora do Agrupamento de Centros de Saúde Póvoa de Varzim/Vila do Conde (ACES PV/VC), Judite Neves, os números são "muito bons": "Até agora, já vacinamos 5522 crianças dos 5 aos 11 anos. É 60,5% das que temos elegíveis".

A mãe de Tiago, a princípio, teve dúvidas. "Depois, a médica de família disse-me para confiar na ciência e a verdade é que o Tiago já teve vários colegas infetados", frisa Paula Faria.

Por ali, ainda há quem apareça sem marcação e a porta está aberta. "Chegam sempre algumas primeiras doses, que não fizeram a vacinação em dezembro", continua a contar Judite Neves.

É o caso de Margarida. "Em dezembro fez uma vacinação do Plano Nacional de Vacinação e, depois, tinha que esperar um mês até fazer esta, por isso só viemos hoje", conta a mãe, Sofia Araújo. "Foi rápido. Não doeu nada", conta a pequena Margarida. No final, as pinturas cor-de-rosa na cara foram "o prémio". Saiu vaidosa, tranquila, feliz.

As duas animadoras foram contratadas pela Câmara que, por ali, é parceira, assegurando o espaço, a limpeza, a segurança e os assistentes que vão ajudando a encaminhar as pessoas. Do ACES PV/VC, há 16 pessoas e seis boxes de vacinação a funcionar em simultâneo.

Para já, pelo menos até abril, o Centro vai manter-se em funcionamento. À semana, abre das 8 horas às 14 horas. Ao fim de semana, das 9 horas às 17 horas. A 26 e 27 de fevereiro, haverá novo fim de semana dedicado à vacinação das crianças. No ACES PV/VC, até 31 de janeiro, foram vacinadas 110 mil pessoas com mais de 18 anos (83%) e já tomaram a dose de reforço 60900 (50,5%)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG