Eleições

Candidato do PS a Vila do Conde admite resgatar concessão da água

Candidato do PS a Vila do Conde admite resgatar concessão da água

O candidato do PS à Câmara de Vila do Conde quer ver a fatura da água baixar e admite mesmo, caso seja eleito, resgatar a concessão, caso não cheguem a bom porto as negociações com a Indaqua. Vítor Costa foi, sábado, eleito com 99% dos votos, numas primárias inéditas, que levaram às urnas 2395 militantes e simpatizantes do PS.

"Queremos ter a água mais barata como a conseguem ter os munícipes da Póvoa de Varzim e de Matosinhos. É uma grande injustiça que paguemos a água muito mais cara que quase todos os outros portugueses", frisou Vítor Costa, na primeira declaração como candidato à Câmara, deixando a primeira promessa eleitoral.

"Vou combater com todas as minhas forças para que se ponha fim a esta grande injustiça. Utilizarei todos os meios, incluindo o resgate, se necessário for", garantiu, ele que, enquanto vereador da Câmara liderada por Mário Almeida, votou a favor da concessão da água a privados. Diz que o fez convicto de que "era o melhor para os vilacondenses", mas, uma década depois, frisa, "tudo mudou": brutal diminuição do investimento inicial" previsto, a autarquia foi obrigada a "assumir encargos que eram da concessionária" - caso das mini-ETAR da União de Freguesias de Bagunte, Ferreiró, Outeiro e Parada -, "diminuição drástica da renda", que passou de 450 para 200 mil euros anuais.

Nas primeiras eleições primárias locais votaram 60% dos inscritos, uma "grande participação", diz, apesar das restrições impostas pela pandemia e tendo em conta a existência de um único candidato. Para Vítor Costa, Vila do Conde precisa de iniciar "um novo ciclo, que contrarie um certo marasmo e uma certa estagnação".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG