O Jogo ao Vivo

Exclusivo

Espera pela reforma há dois anos e vive de ajudas da família

Espera pela reforma há dois anos e vive de ajudas da família

Conceição Tinoco, de 68 anos, de Vila do Conde, tem sobrevivido com 189 euros de rendimento de inserção.

Nos últimos dias de 2018, quando pediu a reforma, Conceição Tinoco nunca imaginou que dois anos depois continuaria à espera do estatuto de reformada. E do valor da pensão, com o qual contava para sobreviver. Enquanto trabalhou como administrativa, a sexagenária de Modivas, Vila do Conde, descontou para a Segurança Social e para a Caixa Geral de Aposentações (CGA), mas nenhum dos organismos desbloqueia o processo, protagonizando, antes, um pingue-pongue de responsabilidades.

"Era funcionária pública e, agora, estou a viver com o rendimento mínimo, que é de 189 euros. Como? Olhe, sabe Deus como! Então, 189 euros o que é que dá? Tive dois AVC [acidente vascular cerebral], sou diabética e, no último mês, gastei 85 euros em medicação. É muito difícil eu viver, muito difícil", lamenta Conceição, incapaz de conter as lágrimas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG