Solidariedade

Ginásio em Vila do Conde vai fazer compras de idosos e doentes

Ginásio em Vila do Conde vai fazer compras de idosos e doentes

A equipa do Zeusxt, um ginásio de Vila do Conde, vai ajudar os grupos de risco em quarentena, como idosos e doentes crónicos, nas idas ao supermercado. A direção do ginásio publicou a decisão nas redes sociais e, em poucas horas, já reuniu cerca de dez voluntários.

O espaço decidiu encerrar nas próximas semanas, como medida preventiva por causa do coronavírus, mas a equipa não vai ficar parada: decidiu fazer as compras da população em risco ou com mais de 60 anos. "Decidimos fechar por segurança, nossa e dos nossos clientes, mas quisemos tornar o nosso tempo livre em tempo útil e pensar mais na comunidade", explicou ao JN a proprietária do Zeusxt. "Muitos dos nossos pais, por exemplo, estão incluídos nos grupos de risco. Por que não sermos nós, jovens, a fazer este tipo de deslocação por eles?".

A ideia surgiu quando a jovem de 28 anos foi ao supermercado e se deparou com "uma realidade que não estava à espera". Além das longas filas nas caixas, viu um espaço a "abarrotar de gente dentro dos grupos de risco". Quando estava a pagar, nas caixas automáticas, um senhor de idade pediu-lhe ajuda porque não sabia trabalhar com as máquinas e queria evitar filas. O pedido de auxílio despertou a vontade de ajudar. "Pensei, por que não?".

Cristiana Branco falou com a equipa e publicou, no Facebook do Zeusxt, uma nota a dar conta da vontade de ajudar. A onda de solidariedade moveu, até agora, cerca de dez voluntários, de Vila do Conde e da Póvoa de Varzim, "prontos a serem chamados a qualquer momento". "Pedimos aos interessados para mandar mensagem privada e já recebemos bastantes pedidos". O objetivo, de acordo com a proprietária, é que a "causa" se alastre a outras cidades do país e que outros espaços façam o mesmo trabalho comunitário.

A decisão não foi tomada de ânimo leve e todos os voluntários estão consciente dos riscos. "Tomámos as devidas precauções e definimos algumas regras para esta ajuda. Cada voluntário faz compras apenas para uma família de cada vez e ao primeiro sintoma deixa de o fazer", elucidou a proprietária Além disso, a entrega das encomendas e o pagamento das compras vai ser feito com o mínimo de contacto para evitar contágios. As compras serão para bens essenciais e em quantidades razoáveis.

A atitude altruísta é também uma chamada de atenção para a situação do país por causa do Covid-19. "Estamos todos no mesmo barco".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG