Vila do Conde

"Ignorado " pela Câmara, presidente da Junta deixa movimento independente NAU

"Ignorado " pela Câmara, presidente da Junta deixa movimento independente NAU

O presidente da Junta de Freguesia de Vila do Conde, Isaac Braga, afirmou, esta sexta-feira, que deixa o movimento independente NAU. Diz-se "ignorado" pela Câmara de Elisa Ferraz e tratado "com uma altivez ofensiva".

A menos de dois anos das Eleições Autárquicas, Isaac Braga é a primeira baixa "de peso" no movimento independente que elegeu a atual líder da autarquia, pondo fim a 43 anos de governação socialista. Na freguesia sede do concelho de Vila do Conde vota cerca de um terço dos eleitores.

Enfermeiro de 37 anos, Isaac diz que, em 2017, quando aceitou o convite para ser candidato à principal junta do concelho, tinha "evidente e genuína esperança" que era "possível fazer diferente". Encontrou Vila do Conde cansada de um PS velho e ganhou. "Mas, pouco a pouco, a expectativa inicial transformou-se em desilusão. Julgo que isto aconteceu com muita gente", frisou, esta sexta-feira de manhã, numa conferência de imprensa marcada para tornar pública a decisão de se afastar no movimento NAU.

Garante que, na Junta, encontrou sempre "o caminho de proximidade com a população", mas que com o município foi diferente. "Em vez de apoiar e ajudar na nossa tarefa, antes a ignorava. Quantas vezes tentei falar com a Câmara sem me devolverem as chamadas? Muitas. Quantas vezes a Câmara decidiu sobre a freguesia de Vila do Conde, não convidando a Junta a marcar presença, em assuntos em que esta era também parte? Muitas. Na realidade, a Câmara tratou a Junta com uma altivez que eu considero ofensiva", afirmou Isaac Braga.

Garante que o mal-estar vem de longe. Tentou o diálogo. Não foi ouvido. Nem mesmo quando, no início da semana, tentou comunicar a Elisa Ferraz a decisão que, depois de muito pensar, tomou. "Até hoje não me foi devolvida a chamada", explica, sem entender os motivos.

Assegura que, no Executivo e na Assembleia de Freguesia, tem o apoio da "esmagadora maioria" dos que, com ele, avançaram em 2017 e, por isso, vai continuar a trabalhar para cumprir todas as promessas que, há dois anos, levou a sufrágio.

Vai continuar na Junta até 2021 e logo se verá. Mas Isaac diz desde já que estará "disponível para criar um projeto diferente e inovador" para Vila do Conde, que "precisa de uma nova liderança".

Isaac Braga acredita que com Vítor Costa, eleito a 1 de fevereiro líder da concelhia do PS, será possível. Se avançará pelos socialistas? A seu tempo o dirá, embora reconheça ver "um novo projeto de futuro" para o concelho.