Exclusivo

Legionela: "Então as pessoas estão a morrer e ninguém diz nada?"

Legionela: "Então as pessoas estão a morrer e ninguém diz nada?"

"Então as pessoas estão a morrer e ninguém diz nada?", indigna-se Hermínia Albuquerque. O pai, Carlos Silva, foi na segunda-feira a enterrar. Morreu "do dia para a noite". Levou-o a legionela, depois de cinco dias "num sofrimento atroz".

A um quilómetro dali, Rosa Silva vive há uma semana com "o coração apertado". O pai está internado. Diagnóstico? Doença dos legionários. Exige respostas. Ninguém lhas dá e a verdade é que já são, pelo menos, 62 infetados e seis mortos. Em Fajozes, Vila do Conde, há ruas com vários casos, novos doentes todos os dias e muito medo. Os mais velhos fecham-se em casa. A fonte de contágio continua por identificar.

Ontem, os infetados do surto que está a afetar os concelhos de Vila do Conde, Matosinhos e Póvoa de Varzim voltaram a subir. São agora 62. Há 39 internados no Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde, no Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, e no Hospital de S. João, no Porto. No CHPV/VC deram entrada mais dois, em Matosinhos mais três e, sabe-se agora, no S. João há seis internados, dois nos Cuidados Intensivos, ligados ao mesmo surto.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG