Saúde

Novo edifício irá substituir hospital de Vila do Conde

Novo edifício irá substituir hospital de Vila do Conde

Dois blocos operatórios, sala de exames especiais, unidade de cirurgia de ambulatório, imagiologia e análises clínicas, fisioterapia, consulta externa, internamento de saúde mental e novas valências, como hemodiálise ou oftalmologia. Será assim a nova unidade de Vila do Conde do Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde (CHPV/VC). A Câmara vai ceder o terreno e o presidente, Vítor Costa, garante que o projeto já está a avançar. O novo edifício vai substituir o velhinho hospital.

"Há um acordo com o Ministério da Saúde. Já tivemos duas reuniões de trabalho para elaboração do projeto", afirmou, ontem, Vítor Costa. O presidente da Câmara que, na passada quinta-feira, levou à reunião do Executivo a proposta de cedência do terreno, está confiante que a obra avance "neste mandato".

O novo edifício ficará no terreno onde, nesta segunda-feira, está o que resta do antigo palacete dos Pizarro Monteiro, ao cimo da Rua da Costa, quase em frente ao atual hospital. A Câmara já aprovou a cedência, que deverá ser agora ratificada pela assembleia municipal. Segue-se o protocolo com a ARS/Norte e o CHPV/VC.

A unidade, explicou Vítor Costa, vai ficar nos 2500 metros quadrados de terreno. Será um edifício de três pisos, a que se somarão mais dois subterrâneos de estacionamento. "É um complemento à ampliação que já está em curso na Póvoa. No final, teremos um CHPV/VC realista e compatível com a saúde que preconizamos para o século XXI", frisou, aludindo ao muito prometido e nunca edificado novo CHPV/VC.

Concluído o novo edifício, o atual será devolvido à sua proprietária: Misericórdia.

Ainda na saúde, Vítor Costa anunciou que o concurso para a construção do novo Centro de Saúde das Caxinas será lançado em fevereiro. O novo edifício ficará na Rua da Estrada Velha, nas traseiras da antiga Agros, e substituirá o atual, que vive a braços com a falta de espaço. A nova unidade vai custar 2,5 milhões de euros e já tem 1,5 milhões garantidos do Plano de Recuperação e Resiliência.

Obstetrícia

PUB

O presidente da Câmara do Conde consider "que seria um erro" o Governo ponderar o encerramento da urgência de obstetrícia, e respetivo bloco de partos, do Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde.

Vítor Costa mostrou-se "confiante e otimista" de que a medida não será tomada, lembrando "o serviço de excelência" desta unidade hospitalar, que serve dois concelhos com mais de 150 mil habitantes e que tem regularmente realizado mais de 1200 parto por ano.

"Estou muito atento a esta questão e em contacto permanente com o ministro da Saúde , com quem tenho uma ótima relação. Com mais de 1200 partos anuais e um serviço de excelência reconhecido a nível nacional, seria um erro se a maternidade do Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde encerrasse", afirmou.

O eventual fecho desta unidade, que serve as duas cidades, foi apenas mencionado num estudo encomendado pelo governo a uma Comissão de Acompanhamento da Resposta em Urgência de Ginecologia, Obstetrícia e Bloco de Partos, que, entre vários casos, referiu o Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde.

"O estudo não foi encomendado por este ministro [Manuel Pizarro]. Foi feito com parâmetros e condições que a anterior titular da pasta entendeu. O que posso dizer, e que é público, é que o atual ministro está a ver o relatório, mas tenho a certeza que não é o seu relatório", partilhou Vítor Costa.

O autarca revelou, ainda, que já houve uma visita do novo CEO do Serviço Nacional de Saúde, Fernando Araújo, às instalações da unidade, na Póvoa de Varzim, e que "ficou muito satisfeito com a qualidade do serviço prestado".

"A única questão prende-se, atualmente, com as instalações físicas, que podiam ser melhores, mas estou convencido que as obra de ampliação, que estão em curso, vão colmatar esse aspeto menos positivo, não havendo, assim, nenhuma razão para se fechar a maternidade", disse Vítor Costa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG